NARRATIVAS DIGITAIS E HIPERTEXTOS: CARACTERÍSTICAS, APROXIMAÇÕES CONCEITUAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20500/rce.v15i34.37037

Palavras-chave:

Narrativas digitais. Hipertexto. Características.

Resumo

No contexto da cibercultura as narrativas ganham novos potenciais, visto que a dinâmica que envolve o processo de produção ganha novos espaços, formatos e significações. As narrativas, agora digitais, são produzidas no movimento de evolução dos meios tecnológicos e dos usos que fazemos deles para nossas produções. Este texto tem como objetivo caracterizar as narrativas digitais à luz da discussão sobre hipertexto. Para tanto, trazemos discussão teórica por meio das vozes e interlocuções de autores que tratam das propriedades do ambiente digital onde as narrativas são produzidas, e dos formatos de hipertextos em que circunscrevemos a sua ancoragem, como Murray (2003), Santaella (2003), Prado et al. (2017), Xavier (2002, 2010, 2015), Lemke (2002, 2010), entre outros.  

Biografia do Autor

Késsia Mileny de Paulo Moura, UFMA/UFRGS

Professora do Curso de Pedagogia do Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia da Universidade Federal do Maranhão- CCSST/UFMA. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – PPGIE/UFRGS. Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraiba – UFPB. Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraiba – UFPB.

Sérgio Roberto Kieling Franco, UFRGS

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1985), graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (1985), mestrado em Educação (1990) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000). É Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e professor dos programas de Pós-graduação em Educação e em Informática na Educação. Foi membro do Conselho Nacional de Educação (CNE) e Vice-Presidente da Câmara de Educação Superior deste Conselho. Foi Presidente da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) do Ministério da Educação e Presidente da Associação Universidade em Rede (UNIREDE). Foi Pró-reitor de Graduação da UFRGS, Secretário de Educação a Distância da UFRGS, Diretor da Faculdade de Educação da UFRGS; Diretor do Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação da UFRGS. Exerceu o cargo de Diretor de Políticas de Educação a Distância da Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicologia Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: educação a distância, aprendizagem e educação superior.

Referências

BRAGA, Denise Bertóli; SCHLINDWEIN, Ana Flora. A inserção dos recursos digitais e da Internet nas práticas sociais e educacionais: impactos no ensino da literatura do século XXI. Remate de Males, Campinas-SP, v. 34, n. 2, p. 635-652, jul./dez. 2014. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8635869. Acesso em: 12 jan. 2019.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

KIELING, Alexandre S. et al. Narrativas Digitais Interativas e o Uso da Tecnologia como Narrador Implícito. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 739-758, set./dez. 2012.

LEMKE, Jay L. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trab. Ling. Aplic., Campinas, v. 49, n. 2, p. 455-479, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0103-18132010000200009&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 fev. 2019.

LEMKE, Jay L. Travels in Hipermodality. Visual Communication, v.1, n.3, p. 299-325, 2002. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/147035720200100303?journalCode=vcja. Acesso em: 23 nov. 2018.

MURRAY, H. J. Hamlet no Holodeck. O futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Itaú cultural: Unesp, 2003.

NOJOSA, Urbano Nobre. Da rigidez do texto à fluidez do hipertexto. In: FERRARI, Pollyana (org.). Hipertexto, hipermídia: as novas ferramentas da comunicação digital. São Paulo: Contexto, 2019. p. 69-78.

PAUL, Nora. Elementos das narrativas digitais. In: FERRARI, Pollyana(org.). Hipertexto, hipermídias: as novas ferramentas da comunicação digital. São Paulo: Contexto, 2019. p. 121-139.

PERNISA JUNIOR, Carlos. Mônadas abertas: a evolução de um conceito. Brazilian Journalism Research, v. 9, n. 1, 2013. Disponível em: https://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/518. Acesso em: 17 mar. 2019.

PRADO et al. (2017). Narrativas digitais: conceitos e contexto de letramento. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. esp. 2, p. 1156-1176, ago./2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/10286/6679. Acesso em: 23 fev. 2019.

XAVIER, Antonio Carlos. Desafio do hipertexto e estratégias de sobrevivência do sujeito contemporâneo. Estudos da Língua(gem), v. 13, n. 2, p. 73-90, dez. 2015. Disponível em: http://www.estudosdalinguagem.org/index.php/estudosdalinguagem/article/viewFile/473/426. Acesso em: 10 jan. 2019.

XAVIER, Antonio Carlos. Educação, tecnologia e inovação: o desafio da aprendizagem hipertextualizada na escola contemporânea. (Con)Textos Linguísticos, v. 7, n. 8.1, p. 42-61, 2013. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/6004/4398. Acesso em: 10 jan. 2019.

XAVIER, Antonio Carlos. Leitura, texto e hipertexto. In: MARCUSCHI, Luiz Antonio; XAVIER, Antonio Carlos. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

XAVIER, Antonio Carlos. O hipertexto na sociedade da informação: a constituição do modo de enunciação digital. 2002. Tese (Doutorado) – Universidade de Campinas, Campinas, 2002.

Downloads

Publicado

2020-12-29