Educação antirracista e democratização do ensino superior

Claudete Gomes Soares

Resumo


O objetivo desse artigo é problematizar as relações entre ensino superior e branquitude por meio de uma reflexão sobre o lugar da educação antirracista no projeto de expansão e interiorização do ensino superior no Brasil. Essa análise será feita em consideração a minha imersão enquanto mulher negra, professora universitária, no contexto acadêmico de uma universidade que é fruto do processo de expansão do ensino superior na região Sul do Brasil: a UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul). Para tanto, serão utilizadas como fontes de análise: documentos institucionais, propostas curriculares, produções acadêmicas com foco no projeto institucional e político-pedagógico dessa instituição de ensino.


Palavras-chave


branquitude; educação antirracista; ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Silvio. Racismo estrutural. (Coleção Feminismos plurais). São Paulo: Pólen, 2019.

BENTO, Maria Aparecida da Silva; Branqueamento e Branquitude no Brasil. In: CARONE, Iray; BENTO, Maria Aparecida da Silva. (Org.). Psicologia social do racismo – estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. 6.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 25-58.

CARVALHO, José Jorge de. Usos e abusos da antropologia em um contexto de tensão racial: o caso das cotas para negros na UnB. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 11, n. 23, jan/jun, p. 237-246, 2005. https://doi.org/10.1590/S0104-71832005000100018

COLLINS, Patrícia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. Revista Sociedade e Estado. vol. 31, nº 1, janeiro/Abril, 2016. https://doi.org/10.1590/S0102-69922016000100006

DAGNINO. Evelina. Construção democrática, neoliberalismo e participação: os dilemas da confluência perversa. Política & Sociedade. vol. 3, n.5, p.7-26, 2004. https://doi.org/10.5007/%25x

DAGNINO. Evelina. Os movimentos sociais e a emergência de uma nova cidadania. In ___. (Org.). Os anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 103-115.

GROSFOGUEL, Ramón. El concepto de «racismo» en Michel Foucault y Frantz Fanon: ¿teorizar desde la zona del ser o desde la zona del no-ser? Tabula Rasa, Bogotá, nº.16, 79-102, enero-junio, 2012.

HALL, Stuart. A questão multicultural. In:____. Da diáspora: identidade e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. p. 56-109.

HALL, Stuart. O espetáculo do outro. In: ____. Cultura e representação. Tradução: Daniel Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio/ Apicuri, 2016. p.139-259.

HERINGER, Rosana. Democratização da educação superior no Brasil: das metas de inclusão ao sucesso acadêmico. Rev. bras. orientac. Prof., Florianópolis, vol.19, nº.1, p. 7-17, jan./jun. 2018. http://dx.doi.org/1026707/1984-7270/2019v19n1p7

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LANDER, Edgardo. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: ____. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. setembro 2005. p.8-23.

LEITE, Ilka B. Descendentes de africanos em Santa Catarina: invisibilidade e segregação In: LEITE, I. B. (Org.). Negros no Sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996. p. 5-42.

LIMA, Paulo Gomes. Políticas de educação superior no brasil na primeira década do século XXI: alguns cenários e leituras. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 18, n. 1, p. 85-105, mar. 2013.

MACHADO, M. P. A expansão da educação superior do brasil no século XXI. In____. O Pacto Neodesenvolvimentista e as Políticas de Expansão da Educação Superior no Brasil de 2003-2013. 2013. 200f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013. p. 109-168.

MYSKIW, Antônio Marcos et all. Movimentos Sociais, Educação e Cidadania In: TREVISOL, Joviles et all (org.). Construindo agendas e definindo rumos: I Conferência de Ensino, pesquisa e extensão da UFFS /Universidade Federal da Fronteira Sul. Chapecó: UFFS, 2011.

PASSOS, Ana Helena Ithamar. Varrendo a sala para levantar poeira: o branco numa aula sobre a história e cultura afrobrasileira. Revista da ABPN. Dossiê Branquitude. Brasília, ABPN, v. 6, n. 13, p.223-251, mar/ jun. 2014.

PEREIRA, Thiago Ingrassia; SILVA, Luís Fernando Santos Corrêa da. As políticas públicas do ensino superior no governo Lula: expansão ou democratização? Revista debates, Porto Alegre, v.4, n.2, p. 10-31, jul.-dez. 2010.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). A produção social Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p.73-102

SIQUEIRA, Carlos Henrique Romão. O processo de implementação das ações afirmativas na Universidade de Brasília (1999-2004). O Público e o Privado: Revista Acadêmica do Mestrado em Políticas Públicas e Sociedade, Fortaleza: UECE, v. 2, n. 2, 2004.

AUTORA., 2015.

SOVIK. Liv. Aqui ninguém é branco: hegemonia branca e media no Brasil. In: WARE, Vron. (org.). Branquidade: identidade branca e multiculturalismo. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

TREVISOL, Joviles Vitório. Educação Superior e movimentos sociais no Sul do Brasil: democratização do acesso e justiça cognitiva. Revista do NUPEM, v. 12, p. 162-179, 2020. https://doi.org/10.33871/nupem.2020.12.27.162-179

TREVISOL, Joviles Vitório; NIEROTKA, Rosileia Lucia. Os jovens das camadas populares na universidade pública: acesso e permanência. Revista Katalysis, v. 19, p. 22-32, 2016. https://doi.org/10.1590/1414-49802016.00100003

TREVISOL, Joviles. Movimentos sociais e universidade popular no Brasil: a experiência de implantação da UFFS. X ANPED SUL, Florianópolis, outubro de 2014. Disponível em: . Acesso em 01 jun. 2021

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL (UFFS). Resolução n. 32/2013 – CONSUNI. Institui o Programa de Acesso à Educação Superior da UFFS para estudantes haitianos – PROHAITI e dispõe sobre os procedimentos para operacionalização das atividades do programa. Sala das Sessões do Conselho Universitário, 11a Sessão Ordinária, Chapecó, SC, 12 dez. 2013a. Disponível em: . Acesso em 01 jun. 2021

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL. Resolução n. 33/2013 – CONSUNI. Institui o Programa de Acesso e Permanência dos Povos Indígenas (PIN) da Universidade Federal da Fronteira Sul. Sala das Sessões do Conselho Universitário, 11a Sessão Ordinária, Chapecó, SC, 12 dez.2013b. Disponível em: . Acesso em 01 jun. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL, Plano de Desenvolvimento Institucional (2012-2016), Chapecó, 2012. Disponível em: < https://www.uffs.edu.br/institucional/a_uffs/a_instituicao/plano_de_desenvolvimento_institucional/arquivo >. Acesso em 01 jun. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL. Portaria n° 172/GR/UFFS/2010. Chapecó, 2010. Disponível em: . Acesso em 20 maio. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em História - Licenciatura, Chapecó, (SC), novembro de 2010. Disponível em: < https://www.uffs.edu.br/atos-normativos/ppc/cclhch/2010-0001>. Acesso em 20 maio. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Ciências Sociais - Licenciatura, Chapecó, (SC), novembro de 2010. Disponível em: < https://www.uffs.edu.br/atos-normativos/ppc/cclcsch> . Acesso em 20 maio. 2021.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v16i37.45015

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.