MESTRES EXEMPLARES E FORMAÇÃO DE REDES DE COMUNICAÇÃO NO CONTEXTO DE CONSTRUÇÃO DA ESCOLA DEMOCRÁTICA PORTUGUESA

Nathalie Ramos Monteiro Sousa, Libânia Nacif Xavier

Resumo


O artigo analisa a contribuição de duas lideranças expressivas do chamado movimento de construção da escola democrática em Portugal, que teve curso nos anos 1970, culminando em 1974, com a Revolução dos Cravos. Referimo-nos aos Professores Rui Grácio (1921-1991) e Rogério Fernandes (1933-2010). Ao se empenharem na construção de uma memória docente, ambos os educadores apresentaram, em suas publicações, uma seleção de mestres exemplares, visando disseminar as motivações e criações de relevância profissional para os docentes. Na primeira parte, apresentaremos uma rápida biografia das duas lideranças citadas. Em seguida, focalizaremos as contribuições de Irene Lisboa e Rosa Sensat, assim como de Maria Montessori e Anne Sullivan. Ao final, analisamos os valores e lições que esses educadores tencionavam disseminar a partir das luzes que jogaram sobre as trajetórias das mestras por eles consideradas exemplares.

Palavras-chave: profissão docente; história da educação; escola democrática.


Palavras-chave


profissão docente; história da educação; escola democrática.

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, P. (1998). A ilusão biográfica. In MORAES, M. (org.) História Oral: usos e abusos. Rio de Janeiro, FGV.

CODINA. Maria Teresa (2002). Rosa Sensat y los orígenes de los Movimientos de Renovación Pedagógica. In: Historia de la Educación. Revista interuniversitaria: Ediciones Universidad Salamanca. nº 21, p. 91-104.

FELGUEIRAS, M. e MENEZES, M. C.(orgs) (2004). Questionar a Sociedade, interrogar a História e repensar a Educação. Porto, Edições Afrontamento.

FERNANDES, Rogério (2007). Irene Lisboa e Áurea Judite Amaral: dois olhares sobre a escola a partir da “Escola Nova.” In: Viagens Pedagógicas. VENANCIO, Ana Chrystina & GONDRA, José Gonçalves. São Paulo: Cortez, p.217.

GALVEZ. Inmaculada (1995). La evolución de la enseñanza Primaria en España: organización de la etapa y programa de estudios. In: Revista Tendencias Pedagógicas. Universidad Autónoma de Madrid. Madrid, p. 77.

GRÁCIO, Rui (1977). Educação e Educadores. Lisboa, Livros Horizonte-Biblioteca do Educador Profissional, n° 4.

NORA, Pierre (1984). (org). Les lieux de mémoire. Paris: Gallimard. Vol 1 La République.

POLLACK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Editora da Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, n.3, (3-15).

SANTOS, Myriam Sepúlveda dos. Memória coletiva e teoria social. São Paulo, Anablume, 2006.

XAVIER, Libania (2012). Docência, Pesquisa e construção Democrática: as contribuições de Rui Grácio e Rogério Fernandes. In Mogarro, M.J. & Cunha, M.T.S. (orgs.) Rituais, Espaços & Patrimónios Escolares. IX Congresso Luso Brasileiro de História da Educação (Atas). Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. ISBN 978-989-96999-6-0

________________ (2008). Associativismo docente e transição democrática no Brasil e Portugal. Projeto de Pesquisa (mímeo).

_________________ (no prelo). Associativismo docente e transição democrática no Brasil e Portugal (1950-1980). Faperj-EDUERJ.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v8i15.8829

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.