Caminhos do trabalhador na busca por cuidado à saúde e à rede de apoio e suporte: um estudo de caso / Pathways of a worker on the pursuit of helth care and social support network: a study case

Gabriela Belarmino de Lima, Marina Batista Chaves Azevedo de Souza, Daniela da Siva Rodrigues

Resumo


Introdução: As mutações ocorridas no mundo do trabalho evidenciaram, na contemporaneidade, novas formas de sofrimento e incapacidades das pessoas, demonstrando que a busca pelo cuidado terapêutico e pelos serviços de assistência à saúde refletem no contexto de vida dos trabalhadores. Objetivo: Caracterizar o itinerário terapêutico de um trabalhador acidentado no trabalho, diante da rede atenção à saúde do Distrito Federal e compreender quais as suas redes de suporte e apoio após o afastamento laboral. Método: Trata-se de um estudo de caso, realizado no Instituto Nacional do Seguro Social (Inss), com um trabalhador acidentado no trabalho, segurado do programa de reabilitação profissional do serviço. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada e com a aplicação dos instrumentos diagrama de escolta e ecomapa para mensurar os impactos nas relações do trabalhador. A análise foi feita com base na análise de conteúdo e no fluxograma analisador, para compreender os caminhos percorridos pelo trabalhador na busca pelo cuidado. Resultados: Os achados revelaram uma ruptura no itinerário terapêutico e na continuidade na rede de atenção à saúde do trabalhador. As redes de suporte e apoio continuaram as mesmas e tão fortes quanto antes do acidente. Identificou-se ainda que o trabalhador acessa alguns recursos comunitários, mas os recursos individuais são os principais fornecedores de suporte. Conclusão: Conclui-se que compreender os itinerários terapêuticos permite uma reflexão sobre os potenciais, as problemáticas e os desafios presentes na rede de atenção e cuidado à saúde dos trabalhadores no Distrito Federal.

Abstract

Introduction: Changes in the world of work has shown nowadays new ways of suffering and incapacities for people, represented by the pursuit of therapeutic and health care services in the daily life context of workers. Objective: To describe the therapeutic itinerary of one worker after a work accident in the face the health care system of Federal District, Brazilia, Brazil, and to understand what are the social support network after work leave. Methods: This is a case study, conducted at the National Social Security with a worker assisted by a program of occupational rehabilitation. Data was gathered through a semi-structured interview, and the instruments of escort diagram and ecomap to measure the impact on the worker relationships. Data analysis was performed using the qualitative content analysis, and also on the flowchart analyzer, to know the worker pathways for health care. Results: Findings showed that there was a disruption of the therapeutic itinerary and in the continuity of health care network of the worker. The social support network remained the same and as strong as before the accident. We identified that the worker accessed some community resources, but individual resources were the main support founded. Conclusion:  We concluded that to understand the therapeutic itineraries of the worker allowed us a reflection about the strengths, main problems and challenges on the health care network for the workers in the Federal District, Brazilia, Brazil.

Keywords: Occupational therapy, Work, Workers Health, Therapeutic Itineraries.

Resumen

Introducción: Las mutaciones ocurridas en el mundo del trabajo evidenciaron, en la contemporaneidad, nuevas formas de sufrimiento e incapacidades de las personas, demostrando que la búsqueda por el cuidado terapéutico y por los servicios de asistencia a la salud reflejan en el contexto de vida de los trabajadores. Objetivo: Caracterizar el itinerario terapéutico de un trabajador accidentado en el trabajo, ante la red atención a la salud del Distrito Federal y comprender cuáles son sus redes de soporte y apoyo después del alejamiento laboral. Método: Se trata de un estudio de caso, realizado en el Instituto Nacional del Seguro Social (Inss), con un trabajador accidentado en el trabajo, asegurado del programa de rehabilitación profesional del servicio. Los datos fueron recolectados por medio de entrevista semiestructurada y con la aplicación de los instrumentos diagrama de escolta y ecomapa para medir los impactos en las relaciones del trabajador. El análisis se hizo con base en el análisis de contenido y en el diagrama de flujo analizador, para comprender los caminos recorridos por el trabajador en la búsqueda del cuidado. Resultados: Los hallazgos revelaron una ruptura en el itinerario terapéutico y en la continuidad en la red de atención a la salud del trabajador. Las redes de apoyo y apoyo continuaron siendo las mismas y tan fuertes como antes del accidente. Se identificó también que el trabajador accede a algunos recursos comunitarios, pero los recursos individuales son los principales proveedores de soporte. Conclusiones: Se concluye que comprender los itinerarios terapéuticos permite una reflexión sobre los potenciales, las problemáticas y los desafíos presentes en la red de atención y cuidado a la salud de los trabajadores en el Distrito Federal.

Palabras clave: Terapia Ocupacional, Trabajo, Salud del trabajador, Itinerario Terapéutico.

 

 


Palavras-chave


Terapia Ocupacional, Trabalho, Saúde do Trabalhador, Itinerário Terapêutico.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Texto promulgado em 05 de outubro de 1988. Brasília, DF; 1988. [acesso em 2015 dez. 17]. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção em Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Legislação em saúde: caderno de legislação em saúde do trabalhador. 2. ed. rev. e ampl. Brasília, DF; 2005.

Frias Júnior CAS. A saúde do trabalhador no Maranhão: diagnóstico e proposta. [Dissertação]. Rio de Janeiro: ENSP/FIOCRUZ; 1998.

Paiva CHA, Teixeira LA. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro. 2014; 21(1):15-35.

PAIM, JS. Reforma Sanitária brasileira: contribuição para compreensão e crítica. [Tese]. Salvador: Instituto de Saúde Coletiva – Universidade Federal da Bahia; 2007.

Teixeira CF; Solla JP. Modelo de atenção à saúde: promoção, vigilância e saúde da família. Salvador:EDUFBA; 2006.

Dias EC; Hoefel MGO. desafio de implementar as ações de saúde do trabalhador no SUS: a estratégia da RENAST. Ciências e saúde coletiva, Rio de Janeiro. 2005; 10(4):817-828.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Portaria Nº 1.823, Ano CXLIX Nº 165, Seção I:46-51. Brasília, DF; 2012.

Jackson Filho JM, Pina JA, Vilela RGA, Reis KS. Desafios para a intervenção em saúde do trabalhador. Rev Bras Saúde Ocup. 2018; 43(supl 1):e13s.

Merhy EE. A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde – uma discussão do modelo assistencial e da intervenção no seu modo de trabalhar a assistência. In: Reis AT, Santos AF, Campos CR, Malta DC, Merhy EE. (Orgs.) Sistema Único de Saúde em Belo Horizonte: reescrevendo o público. São Paulo: Xamã; 1998. p. 103-20. parte II.

Merhy EE. Seminário sobre acolhimento [Palestra de Emerson E. Merhy sobre o Acolhimento na Rede de Serviços]. São Paulo: Secretaria municipal de saúde; 2004.

Merino MDFGLE, Marcon SS. Concepções de saúde e itinerário terapêutico adotado. Rev Bras Enferm, Brasília. 2007; 60(6):651-8.

Neves RDF, Nunes MDO. Da legitimação a (res)significação: o itinerário terapêutico de trabalhadores com LER/DORT. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. 2010; 15(1):211-220.

Thaines GHLS, Bellato R, Faria APS, Araújo LFS. A busca por cuidado empreendida por usuário com diabetes mellitus - um convite à reflexão sobre a integralidade em saúde. Texto Contexto Enferm 2009; 18(1):57-66.

Takahashi MAC. Incapacidade e previdência social: trajetória de incapacitação de trabalhadores adoecidos por LER/DORT no contexto da reforma previdenciária brasileira da década de 1990. 2006. 279 f. [Tese]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Campinas; 2006.

Inss. Diretoria de Saúde do Trabalhador - DIRSAT. Manual Técnico de Procedimento da Área de Reabilitação Profissional. Volume I. Brasília: Divisão de Gerenciamento de Atividades da Reabilitação Profissional - DGARP/Coordenação de Reabilitação Profissional - CREABP; 2016.

Freitas WRS, Jabbour CJC. Utilizando estudo de caso(s) como estratégia de pesquisa qualitativa: boas práticas e sugestões. Estudo & Debate. 2011; 18(2):7-22.

Paula-Couto MCP et al. Adaptação e utilização de uma medida de avaliação da rede de apoio social – diagrama da escolta – para idosos brasileiros. Univ. Psychol. Bogotá, Colombia. 2008; 7(2):493-505.

Musquim CDA. et al. Genograma e ecomapa: desenhando itinerários terapêuticos de família em condição crônica. Rev. Eletr. Enf., Goiás. 2013; 15(1):656-66.

Franco TB, Merhy EE. O uso de ferramentas analisadoras para apoio ao planejamento dos serviços de saúde: o caso do serviço social do Hospital das Clínicas da Unicamp. In: Merhy EE, Junior HMM, Franco TB, Rimoli J, Bueno WS (Org.). O trabalho em saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. 1ed.São Paulo: Editora Hucitec; 2003, p. 135-160.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011. 279p.

Agostinho, M. Ecomapa. Rev Port Clin Geral, Porto – Portugal. 2007; 23(3):327-330.

Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). SUS: avanços e desafios. Brasília, DF: CONASS, 2006. p1-164. [acesso em: 2017 out. 18]. Disponível em: https://www.conass.org.br/biblioteca/sus-avancos-e-desafios/

Merhy EE, Cecílio LCO. Algumas reflexões sobre o singular processo de coordenação dos hospitais. Saúde Debate, Rio de Janeiro. 2003; 22(64):110-12.

Merhy EE; Cecílio LCO. A integralidade do cuidado como eixo da gestão hospitalar. In: Pinheiro R; Mattos RA. Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: IMS ABRASCO; 2003. p.197-210. [acesso em: 2017 out. 18]. Disponível em: http://www.iqg.com.br/pbsp/img_up/01317818578.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (MS) e Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Cadernos HumanizaSUS. Brasília, DF; 2010. [acesso em 2017 out. 18]. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_humanizaSUS.pdf.

Araújo MBS, Rocha PM. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. 2007; 12(2):455-464.

Brasil. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização.

HumanizaSUS: prontuário transdisciplinar e projeto terapêutico / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Brasília, DF; 2004.

Rodrigues DS, Pereira DS, Gregorutti CC, Souza MBCA. Notificação de acidentes de trabalho com material biológico do centro de referência em saúde do trabalhador/DF. Rev Bras de Iniciação Científica. 2019; 6(2):122-137.

Cordeiro JR. Validade transcultural da lista de papéis ocupacionais para portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) no Brasil. 2005. 111f. [Dissertação] São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Reabilitação, São Paulo; 2005.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto25834

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB