Concepções sobre o envelhecimento na ótica de discentes e docentes universitários/ Conceptions on aging from the views of university students and teachers

Janayna de Almeida Andrade, Julia Guimaraes Reis da Costa, Andrezza Marques Duque

Resumo


Introdução: O aumento constante da população brasileira traz desafios para toda a sociedade, considerando o papel social que antes o idoso não tinha. Sendo essa discussão imprescindível principalmente pela demanda, que tende a crescer cada vez mais, em relação aos idosos no ambiente da saúde. Objetivo: Analisar a concepção de discentes e docentes universitários sobre aspectos do envelhecimento. Metodologia: Estudo descritivo, quantitativo, de corte transversal. A coleta foi realizada através de um questionário estruturado e um instrumento padronizado, de natureza multidimensional que verifica a autopercepção do envelhecimento a partir de dimensões que envolvem características do envelhecimento. Resultados: Dos entrevistados, 79,67% eram discentes e 20,33% docentes. Dos docentes, predominou mulheres, média de idade 36,02 anos, católicos e casados. Quanto aos discentes, mulheres, idade média 24,20 anos, católicos, solteiros e renda de 1-2 salários mínimos. Foi possível perceber que os participantes tiveram uma autopercepção positiva acerca do processo de envelhecimento. Todas as mudanças foram experimentadas pelos participantes, tendo evidência ansiedade, problemas com o peso e o sono, no entanto, a maioria não foi associada especificamente ao fato de estar envelhecendo. Conclusões: Os participantes apresentaram uma boa autopercepção sobre aspectos do envelhecimento, o que é relevante por ser um bom preditor do envelhecimento saudável. Esse estudo ratifica a necessidade de pesquisas sobre o envelhecimento nos cursos de graduação em saúde, tal como previsto nas principais diretrizes e políticas brasileiras.

Palavras-chave: Envelhecimento, Percepção, Docentes, Estudantes, Estudos Transversais.

Abstract: Introduction: The constant increase of the Brazilian population brings challenges for the whole society, considering the social role that the elderly did not have before. This discussion being essential mainly due to the demand, which tends to grow more and more, in relation to the elderly in the health environment. Objective: To analyze the conception of students and university professors about aspects of aging. Methodology: Descriptive, quantitative, cross-sectional study. The collection was carried out through a structured questionnaire and a standardized instrument, of a multidimensional nature that verifies the self perception of aging from dimensions that involve characteristics of aging. Results: Of the interviewees, 79.67% were students and 20.33% were teachers. Among the teachers, women predominated, with an average age of 36.02 years, Catholics and married people. As for students, women, average age 24.20 years, Catholics, singles and income of 1-2 minimum wages. It was possible to notice that the participants had a positive self perception about the aging process. All changes were experienced by the participants, with evidence of anxiety, problems with weight and sleep, however, most were not specifically associated with the fact of aging. Conclusions: The participants had a good perception of aspects of aging, which is relevant for being a good predictor of healthy aging. This study confirms the need for research on aging in undergraduate health courses, as provided for in the main Brazilian guidelines and policies.

Keywords: Aging, Perception, Teachers, Students, Cross-Sectional Studies.

Resumen: Ntroducción: El aumento constante de la población brasileña presenta desafíos para toda la sociedad, considerando el papel social que los ancianos no tenían antes. Esta discusión es esencial principalmente debido a la demanda, que tiende a crecer cada vez más, en relación con las personas mayores en el entorno de la salud. Objetivo: Analizar la concepción de estudiantes y profesores universitarios sobre aspectos del envejecimiento. Metodología: Estudio descriptivo, cuantitativo, transversal. La recolección se realizó a través de un cuestionario estructurado y un instrumento estandarizado, de naturaleza multidimensional que verifica la autopercepción del envejecimiento a partir de dimensiones que involucran características del envejecimiento. Resultados: De los entrevistados, el 79.67% eran estudiantes y el 20.33% eran maestros. Entre los maestros, predominaban las mujeres, con una edad promedio de 36.02 años, católicos y casados. En cuanto a estudiantes, mujeres, edad promedio 24.20 años, católicos, solteros e ingresos de 1-2 salarios mínimos. Fue posible notar que los participantes tenían una autopercepción positiva sobre el proceso de envejecimiento. Todos los cambios fueron experimentados por los participantes, con evidencia de ansiedad, problemas con el peso y el sueño, sin embargo, la mayoría no se asociaron específicamente con el hecho del envejecimiento. Conclusiones: Los participantes tenían una buena autopercepción de los aspectos del envejecimiento, lo cual es relevante para ser un buen predictor del envejecimiento saludable. Este estudio confirma la necesidad de investigación sobre el envejecimiento en los cursos de pregrado en salud, como se prevé en las principales directrices y políticas brasileñas.

Palabras clave: Envejecimiento, Percepción, Maestros, Estudiantes, Estudios transversales.


Palavras-chave


Envelhecimento; Percepção; Docentes; Estudantes; Estudos Transversais.

Texto completo:

PDF

Referências


Jacinto PA, Ribeiro EP. Crescimento e envelhecimento populacional brasileiro: menos trabalhadores

e trabalhadores mais produtivos? Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE). Rio de Janeiro. 2015. 45

(2): 177-363. [acesso em 2020 fev. 17]. Disponível em:

http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/5233

Miranda GMD, Mendes ACG, Silva ALA. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e

consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2016; 19 (3):

-519. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1809-98232016019.150140

Mendes JLV, Silva SC, Silva GR, Santos NAR. O Aumento da População Idosa no Brasil e o

Envelhecimento nas Últimas Décadas: Uma Revisão da Literatura. REMAS - Revista Educação, Meio

Ambiente e Saúde. 2018; 8 (1): 13-26. ISSN 1983-0173. [acesso em 2020 fev. 18]. Disponível em:

http://www.faculdadedofuturo.edu.br/revista1/index.php/remas/article/view/165/272

World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde; tradução Suzana Gontijo.

– Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2005. [acesso em 2020 fev. 18]. Disponível em:

https://bibliotecadigital.mdh.gov.br/jspui/bitstream/192/401/1/WORLD_envelhecimento_2005.pdf

______. Projeção da população do Brasil por sexo e idade: 2000-2060. [S.l.]: IBGE, [s.d.].

Barreto MS, Carreira L, Marcon SS. Envelhecimento populacional e doenças crônicas: Reflexões

sobre os desafios para o Sistema de Saúde Pública. Revista Kairós: Gerontologia. 2015. 18 (1): 325-

Doi: https://doi.org/10.23925/2176-901X.2015v18i1p325-339

Wollmann PGA, Coelho SA, Boaventura LG, Murici BG, D’Oliveira GDF, Melo GF. Associação entre a

autopercepção do envelhecimento e a autopercepção da saúde. Estudos Interdisciplinares sobre o

Envelhecimento. 2018. 23 (3): 95-110.

Schneider RH, Irigaray TQ. O envelhecimento na atualidade: aspectos cronológicos, biológicos,

psicológicos e sociais. Estudos de Psicologia (Campinas). 2008. 25 (4): 585-593. [acesso em 2020

març. 17]. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/viewFile/65634/52832

Gvozd R, Dellaroza MSG. Velhice e a relação com idosos: o olhar de adolescente do ensino

fundamental. Revista Brasileira Geriatria Gerontologia. 2012. 15 (2): 295-304.

Doi:https://doi.org/10.1590/S1809-98232012000200012

Neri AL; Jorge MD. Atitudes e conhecimentos em relação à velhice em estudantes de graduação

em educação e em saúde: subsídios ao planejamento curricular. Estudos de Psicologia (Campinas).

23 (2): 127–137. ISSN 0103-166X. Doi: https://doi.org/10.1590/S0103-166X2006000200003

Caldas CP; Thomaz AF. A Velhice no Olhar do Outro: Uma perspectiva do jovem sobre o que é ser

velho. Revista Kairós Gerontologia. 2010. 13 (2): 75–89. Doi: https://doi.org/10.23925/2176-

X.2010v13i2p%p

Jardim VCFS, Medeiros BF, Brito AM. Um olhar sobre o processo do envelhecimento: a percepção

de idosos sobre a velhice. Revista Brasileira de geriatria e gerontologia, Rio de Janeiro, 2006. 9 (2):

-34. Doi: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2006.09023

RESOLUÇÃO Nº 12/2011/CONEPE/UFS. Aprova alterações no Projeto Pedagógico do Curso de

Graduação em Terapia Ocupacional, Bacharelado do Centro Campus de Ciências da Saúde de Lagarto e

dá outras providências. Universidade Federal de Sergipe. Plano de Desenvolvimento Institucional

-2014. 117p. [acesso em 2020 març. 25]. Disponível em:

http://lagarto.ufs.br/uploads/page_attach/path/6609/Terapia_Ocupacional_-_012_2011_CONEPE.pdf

Rocha LMBC, Rocha M, Gomes, Schwanke CHA. Tradução e adaptação cultural do APQ – Aging

Perceptions Questionnaire para a língua portuguesa brasileira. Revista Brasileira de Geriatria e

Gerontologia. 2012. 15(2): 233–242. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232012000200006

Barker M, O'Hanlon A, McGee HM, Hickey A, Conroy RM. Cross-sectional validation of the Aging

Perceptions Questionnaire: A multidimensional instrument for assessing self-perceptions of aging. BMC

Geriatrics. 2007. 7: 1–13. Doi: 10.1186/1471-2318-7-9

Ferreira L. Validação da Body Appreciation Scale (BAS), Life Satisfaction Index for the Third Age

(LSITA) e do Aging Perception Questionnaire (APQ) para a língua portuguesa no Brasil: um estudo em

idosos brasileiros. Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação

Física, 2012. [acesso em 2020 març. 17]. Disponível em:

http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/275021

ROCHA LMBCR. Autopercepção do envelhecimento, autoimagem corporal, autopercepção de saúde

e morbidades prevalentes em idosos. Tese (Doutorado em Gerontologia Biomética) - Pontifícia

Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. [acesso em 2020 març. 17].

Disponível em: http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2735

Oliveira, NS, Souza TS, Alencar FS, Oliveira GL, Ferreira NB, Alencar JS. Percepção dos Idosos

Sobre o Processo de Envelhecimento. Id OnLine Revista Multidisciplinar e de Psicologia. 2014. 8 (22):

-83. Doi: https://doi.org/10.14295/idonline.v8i22.264

Leite MT, Hildebrandt LM, Massariol AM, Machado BBC. Concepções de envelhecimento e velhice na

voz de universitários. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde. 2015. 17 (1): 48–55. Doi:

21722/rbps.v17i1.12449

Grácio JC. Determinantes do consumo de bebidas alcoólicas nos estudantes do ensino superior de

Coimbra. [Dissertação]. Universidade de Coimbra; 2009. [acesso em 2020 març. 17]. Disponível

em: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/13509

Brotto TCA, Dalbello-Araujo M. É inerente ao trabalho em saúde o adoecimento de seu

trabalhador? Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. 2012. 37 (126): 290-305. Doi:

https://doi.org/10.1590/S0303-76572012000200011

Magnabosco-Martins CR, Vizeu-Camargo B, Biasus, F. Representações sociais do idoso e da velhice

de diferentes faixas etárias. Universitas Psychologica. 2009. 8 (3): 831-847. [acesso em 2020 març.

. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/647/64712155020.pdf

Pereira RF, Freitas MC, Ferreira MA. Velhice para os adolescentes: abordagem das representações

sociais. Revista brasileira de enfermagem. 2014. 67 (4): 601-609. [acesso em 2020 agosto. 17]. Doi:

https://doi.org/10.1590/0034-7167.2014670416.

Filadelfo JS, Cândido ASC. Percepção do Adulto-Jovem sobre o Envelhecer. Id on Line Revista

multidisciplinar de Psicologia. 2016. 10 (31): 172-183. [acesso em 2020 agosto. 17].

Doi: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i31.560

Wuo BB. Jovem hoje, velho amanhã: a visão do jovem sobre o envelhecimento um estudo de

representação social. Mestrado em Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - Pontifícia Universidade

Católica de São Paulo. 2008. [acesso em 2020 agosto. 17]. Disponível em:

https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/18599/2/Bruna%20Billio%20Wuo.pdf

Souza MCT, Aguiar CAS, Silva MCB, Queiroz SA, Santos AP, Santos RL. Percepção de Adolescentes

acerca do Processo de Envelhecimento. Id on Line Revista multidisciplinar de Psicologia. 2019. 13 (44):

-300. [acesso em 2020 agosto. 17]. Disponível em:

https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/1590




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34484

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB