Interferência de verbos de concordância da Libras (l1) no uso de preposições na interlíngua de surdos aprendizes de português L2 (escrito)

Aline Mesquita, Heloisa Salles

Resumo


O estudo investiga a aquisição de português (escrito) como segunda língua (L2) por surdos falantes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeira língua, enfocando o uso da preposição ‘para’ introdutora do complemento dativo no Português Brasileiro (PB). Tomando por referência a hipótese do Acesso Parcial à Gramática Universal, segundo a qual existe interferência da L1 na aquisição de L2, e a hipótese de que o movimento direcional (DIR) em verbos de concordância na Libras e a preposição  ‘para’ no PB são projeções de um núcleo relacional Q/P(⊂), que denota posse/ inclusão, verificamos, por meio de estudo experimental, que a presença do morfema DIR, no verbo de concordância da Libras, favorece a ocorrência da preposição ‘para’ na interlíngua com o verbo correspondente no PB. A interferência é positiva nos casos de coincidência na marcação paramétrica entre as duas línguas, já que o verbo em português seleciona a preposição ‘para’ e seu correspondente em  Libras manifesta DIR. No entanto, a interferência é negativa nos casos em que a preposição ‘para’ ocorre com verbos que não selecionam a preposição dativa no PB, e o verbo correspondente na Libras manifesta DIR.


Palavras-chave


Libras; dativo; aquisição de L2; preposições; verbos de concordância.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2020.v16n1a31620

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: