Estudo sociofonético do português falado na Amazônia: uma comparação interdialetal entre Belém e Macapá

Rosinele Lemos e Lemos, Camila Roberta dos Santos Brito

Resumo


Este artigo apresenta uma comparação interdialetal entre as variedades de Belém (PA) (BRITO, 2014) e Macapá (AP) Lemos (em andamento), com o objetivo de investigar a variação geoprosódica do português falado na Amazônia Oriental. Foram analisados vocábulos oxítonos presentes em sentenças declarativas neutras e interrogativas totais, com o intuito de observar a variação entoacional da frequência fundamental (F0) em posição nuclear dos enunciados. A análise tem como base a Sociofonética (THOMAS, 2011), uma vez que compreende uma análise acústica da fala dentro do contexto social dos informantes. Trata-se de uma pesquisa do projeto AMPER-Amazônia, vinculada ao AMPER-POR. O corpus analisado totalizou 432 dados (3 sentenças x 2 modalidades x 2 variedades x 3 repetições x 12 informantes). O tratamento dos dados abarcou seis etapas: codificação das repetições; isolamento, segmentação automática no PRAAT; aplicação do script no PRAAT; seleção das três melhores repetições e aplicação da interface MatLab. Os resultados deste inédito e relevante estudo revelaram características prosódicas nos falares de belenenses e macapaenses ao apontarem contornos prosódicos similares da F0, na sílaba tônica final nas duas modalidades analisadas, porém evidenciaram-se traços prosódicos mais regulares nas interrogativas totais.


Palavras-chave


Análise prosódica. Sociofonética. Português Brasileiro. Projeto AMPER.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2020.v16n1a31635

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: