Tendências metafóricas no léxico português: o que os dicionários não dizem

Esperança Cardeira, Alina Villalva

Resumo


A lexicografia portuguesa é tradicionalmente baseada em trabalhos lexicográficos anteriores. Como resultado desta tradição, os dicionários contemporâneos apresentam um grande número de significados para cada entrada, mas não mencionam a frequência de uso ou as mudanças semânticas que as palavras sofreram ao longo do tempo. É o caso do vocábulo esquisito, definido nos dicionários como ‘estranho’, mas também como ‘elegante’, ou de bizarro (inicialmente ‘corajoso’, hoje em dia ‘estranho’). O significado original destas palavras, que era positivo, sofreu uma mudança que lhes criou uma conotação negativa. Por outro lado, palavras como bestial e brutal (ambas com o significado inicial de ‘selvagem’) ganharam um significado positivo bastante inesperado (‘sensacional’). Que usos metafóricos permitiram estas mudanças? E como lidam os dicionários com estas alterações? A análise de fontes lexicográficas históricas e contemporâneas pode ajudar-nos a elucidar este tipo de mudanças semânticas no léxico português.


Palavras-chave


Léxico. Mudança semântica. Dicionários. Lexicografia. Linguística histórica.

Texto completo:

PDF

Referências


ATILF. Le trésor de la langue française informatisé. Nancy: CNRS, Université de Lorraine. Disponível em: http://atilf.atilf.fr/. Acesso em: 15 mar 2020.

BLUTEAU, R. Vocabulario portuguez e latino. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu; Lisboa Occidental: Off. de Pascoal da Sylva. 10 v. v. 1-2, 1712; v. 3-4, 1713; v. 5, 1716; v. 6-7, 1720; v. 8, 1721; Suplemento 1, 1727; Suplemento 2, 1728. Disponível em: http://Corpus Lexicográfico do Português.dlc.ua.pt/DICIweb/. Acesso em: 10 mar 2020.

CASTILHO, A. T. Abordagem da língua como um sistema complexo: contribuições para uma linguística histórica. In: CASTILHO et al. (Orgs.). Descrição, história e aquisição do português brasileiro. São Paulo: Fapesp; Campinas: Pontes Editores, 2007. p. 329-60.

CENTRO DE LINGUÍSTICA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA (Ed.). Corpus de Referência do Português Contemporâneo. Disponível em: www.clul.ul.pt/pt/recursos/183-reference-corpus-of-contemporary-portuguese-crpc. Acesso em: 18 mar 2020.

COROMINAS, Joan; PASCUAL, José A. Diccionario crítico etimológico castellano e hispánico. Madrid: Gredos, 1980-1991.

CUNHA, Antônio G. Dicionário etimológico nova fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987 [1982].

DAVIES, Mark; FERREIRA, Michael J. (Eds.). Corpus do português. United States: National Endowment for the Humanities. Disponível em: http://www.corpusdoportugues.org/. Acesso em: 10 mar 2020.

DĘBOWIAK, Przemysław. Sémantique et étymologie: l’adjectif français “bizarre” et ses équivalents formels dans d’autres langues européennes. Studia Etymologica Cracoviensia, v. 15, p. 67-76, 2010.

Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Ed., 2003-2018. Disponível em: www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/. Acesso em: 03 mar 2020.

Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/www.priberam.pt/dlpo/. Acesso em: 05 mar 2020.

ECKARDT, Regine. Meaning change in grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2006.

FIGUEIREDO, Cândido de. Novo diccionario da lingua portuguesa. Nova ed. corr. e copiosamente ampl. Lisboa: A.M. Teixeira. 2 v., 1913[1899]. Disponível em: http://dicionario-aberto.net/estaticos/about.html. Acesso em: 10 mar 2020.

FOLQMAN, Carlos. Diccionario portuguez e latino. Lisboa: Off. de Miguel Manescal da Costa, 1755. Disponível em: http://Corpus Lexicográfico do Português.dlc.ua.pt/DICIweb/. Acesso em: 05 mar 2020.

FONSECA, Pedro José da. Parvum lexicum latinum lusitana interpretatione adjecta. Lisboa: Typographia Regia, 1798. Disponível em: http://Corpus Lexicográfico do Português.dlc.ua.pt/Inicio.aspx. Acesso em: 18 mar 2020.

GABRIELLI, Aldo. Grande Dizionario Hoepli Italiano. Disponível em: https://www.grandidizionari.it/dizionario_italiano.aspx. Acesso em: 03 mar 2020.

HEINE, B.; CLAUDI, U.; HUNNEMEYER, F. Gramaticalization: a conceptual framework. Chicago: University of Chicago Press, 1991.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objectiva, 2001.

ISTITUTO OPERA DEL VOCABOLARIO ITALIANO (Ed.). Tesoro della lingua italiana delle origini . Disponível em: http:// tlio.ovi.cnr.it/TLIO/. Acesso em: 05 mar 2020.

LEWIS, Charlton T.; SHORT, Charles. A Latin Dictionary. Founded on Andrews' edition of Freund's Latin dictionary. revised, enlarged, and in great part rewritten. Oxford. Clarendon Press, 1879. Disponível em: http://www.perseus.tufts.edu/hopper/. Acesso em: 10 mar 2020.

MACHADO, José P. Dicionário etimológico da língua portuguesa. Lisboa: Horizonte, 1995[1952].

MADUREIRA FEIJÓ, João de Morais. Orthographia, ou arte de escrever, e pronunciar com acerto a lingua portugueza para uso do excellentissimo Duque de Lafoens. Lisboa Occidental: Officina de Miguel Rodrigues Fonseca, 1734. Disponível em: http://purl.pt/13. Acesso em: 18 mar 2020.

MERINGER, R. Wörter und Sachen. Indogermanische Forschungen, 16, p. 101-196, 1904.

MORAIS SILVA, A. de. Diccionario da lingua portugueza: recopilado de todos os impressos até a presente. 3. ed., mais corr. e accrescentada. Lisboa: Na typ. de M. P. de Lacerda, 1823[1789]. Disponível em: https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?id=nnc1.0035534206;view=1up;seq=8. Acesso em: 05 mar 2020.

NEHiLP- NÚCLEO DE APOIO À PESQUISA EM ETIMOLOGIA E HISTÓRIA DA LÍNGUA PORTUGUESA; UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (Eds.). Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa DELPo. Disponível em: https://delpo.prp.usp.br/~delpo/conteudo/delpo.php. Acesso em: 18 mar 2020.

Online Etimology Dictionary, 2001-2018. Disponível em: https://www.etymonline.com/. Acesso em: 03 mar 2020.

PEREIRA, Bento. Prosodia in vocabularium bilíngue, latinum, et lusitanum digesta.... Eborae: Typ. Academiae, 1697. Disponível em: http://Corpus Lexicográfico do Português.dlc.ua.pt/DICIweb/. Acesso em: 05 mar 2020.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA (Ed.). Diccionario de la lengua española. Disponível em: http://dle.rae.es/. Acesso em: 18 mar 2020.

SCHUCHARDT, H. Sachen und Wörter. Anthropos, 7, p. 827–839, 1912.

SILVESTRE, João Paulo; VILLALVA, Alina. Mutations lexicales romanes: esquisito, bizarro et comprido. In: LAVRIC, E; PÖCKL, W. (eds), Comparatio delectat II. Akten der VII. Internationalen Arbeitstagung zum romanisch-deutschen und innerromanischen Sprachvergleich. Frankfurt am Main: Peter Lang, 2015. p.149-165.

SWEETSER, Eve. From Etymology to Pragmatics. Metaphorical and cultural aspects of semantic structure. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

TRAUGOTT, E. C.; DASHER, R. B. Regularity in semantic change. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

UNIVERSIDADE DE AVEIRO; CENTRO DE LINGUÍSTICA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA (Eds.). Corpus Lexicográfico do Português. Disponível em: http://Corpus Lexicográfico do Português.dlc.ua.pt/Inicio.aspx. Acesso em: 18 mar 2020.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v6i3.35048

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Esperança Cardeira e Alina Villalva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.