O século XIX e sua crise de identidade: PB ou PE? Uma questão de competição de gramáticas

Elaine Alves Santos Melo

Resumo


À luz da Teoria gerativa de Princípios e Parâmetros (CHOMSKY, 1981), observaremos se as construções com SE são evidências, assim como a colocação pronominal (PAGOTTO, 1993; CARNEIRO, 2005), para apontarmos que o século XIX é um período de competição de gramáticas na escrita de brasileiros. Para tanto, utilizaremos a análise de Raposo e Uriagereka (1996) para as construções com SE, segundo a qual não há SE-passivo, mas apenas SE-indefinido ou SE-genérico que funcionam como sujeito da oração. A amostra é constituída por cartas de leitores, cartas de redatores e anúncios publicados em jornais cariocas durante o século XIX.



Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v1i2.4799

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.