A expressão da posse na terceira pessoa em cartas escritas por homens brasileiros: uma análise diacrônica e histórica

Elaine Alves Santos Melo, Janaína Pedreira Fernandes Souza, Luan Alves Alonso Martins

Resumo


Neste trabalho, investigamos a expressão da posse na terceira pessoa em cartas escritas por homens brasileiros -- ilustres e não ilustres -- nascidos entre os séculos XIX e XX. Especificamente, nos deteremos na interpretação dos seguintes fatores: tipo de estrutura de posse (pronome possessivo, posse interna ou posse externa); traço de inalienabilidade (inalienável, alienável ou abstrato); data de nascimento dos missivistas; missivistas ilustres e não ilustres. Para tanto, faremos uso do Goldvarb-X (SANKOF, TAGLIAMONTE E SMITH, 2001) que nos auxiliará no tratamento estatístico dos dados. No que concerne aos aspectos teóricos, utilizaremos os pressupostos de Variação e Mudança (WEIREINCH, LABOV & HERZOG, 1968), bem como os da Sociolinguística Histórica (CONDE SILVESTRE, 2007).


Palavras-chave


Posse; Terceira pessoa; Homens; Missivas; Diacronia; História.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKER, Chris. Possessive Descriptions. Stanford: CSLI Publications, 1995.

BARROS, Ev’ângela Batista Rodrigues. Dativos de posse: percurso de mudança. Tese de doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

BERLINCK, R. de A. O Objeto Indireto no Português Brasileiro do Século XIX. Comunicação apresentada no X Encontro do CELLIP, Londrina, Paraná, 1997.

______. Dativo ou locativo? Sobre sentidos e formas do dativo. no português. Unesp, SP: Revista Letras, 2001.

______. The Portuguese Dative. In: Belle, W. Van; Langendonck, W. Van (eds.) Case and Grammatical Relations Across Languages. The Dative, v. 1: Descriptive Studies. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 1996.

BURKE, P. A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: UEP, 1992.

CONDE SILVESTRE, J. C. Sociolinguística histórica. Madrid. Gredos, 2007.

DEN DIKKEN, Marcel. Relators and Linkers: the syntax of Predication, Predicate Inversion, and Copulas. Cambridge, MA: MIT Press, 2006.

GIVÓN, T. Iconicity, isomorphism and non-arbitrary coding in syntax. In: Haiman (ed). Iconicity in syntax. Amsterdam, Benjamins, 1985, p. 187-219.

GUÉRON, J. Inalienable possession, PRO-inclusion and lexical chains. In: GUÉRON, J; OBENAUER, H. G.; POLLOCK, J.-Y (eds.). Grammatical representation. Dordrecht: Foris. 1985, p. 43-86.

LABOV, William. Principles of Linguistic Change: Internal Factors. Cambridge: Blackwell Publishers, Vol. 1. 1994.

______. Sociolinguística: uma entrevista com William Labov. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL. Vol. 5, n. 9, 2008. Tradução de Gabriel de Avila Othero.

______. Padrões Sociolinguísticos. Sao Paulo: Parábola Editorial. 2008 [1972].

LUCENA, Rachel Pereira de Oliveira. Pronomes possessivos de segunda pessoa: a variação teu/seu em uma perspectiva histórica. Tese de Doutorado, Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

MELO, Elaine Alves Santos. Construções de tópico sujeito: um caso de mudança na expressão da posse externa no PB. Tese de Doutorado, Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

MIGUEL, Matilde; GONÇALVES, Anabela; DUARTE, Inês. Dativos não argumentais em português.Textos Seleccionados, XXVI Encontro da Associação Portuguesa de Linguística, Lisboa, APL, 2011, p. 388-400.

NEVES, Maria Helena de Moura. Possessivos. In: CASTILHO, Ataliba Teixeira de (org). Gramática do Português falado. Volume III: As abordagens. Campinas: Editora da Unicamp/FAPESP, 1993.

______. Gramática de usos do português. 2ª ed. São Paulo: Ed. Unesp, 2003.

______. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2006.

PAIVA, M. da C. A variável gênero/sexo. In.: MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. (Orgs.) Introdução a Sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2004, p. 33 - 42.

______.; DUARTE, M. E. L. Mudança linguística: observações no tempo real. In.: MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. (Orgs.) Introdução a Sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2004, p. 179 –190.

PAYNE, Doris. L.; BARSHI, Immanuel. External Possession: What, Where, How and Why. In: PAYNE, Doris. L.; BARSHI, Immanuel (org). John Benjamins Publishing Company. Amsterdam/Philadelphia, 1999.

PICALLO, C.; RIGAU, G. El posesivo y las relaciones de posesivas. In: Bosque, I.; Demonte, V. (orgs). Gramática descriptiva de la lengua española. Madrid: Espasa Calpe, 1999, p. 973-1024.

ROMAINE, P. Socio-Historical Linguistics. Its status and Methodology, 1992.

SANKOF, David; SMITH, Eric; TAGLIAMONTE, Sali. GoldVarb: A multivariate analysis application for Windows. University of York: Department of Language and Linguistic Science and Computer Services, 2001.

SILVA, G.M. de O. e. Variação no sistema possessivo de terceira pessoa. Tempo Brasileiro, 78/79, 1984, 54-72.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v4i1.17494

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.