RACISMO CIENTÍFICO NO BRASIL PÓS-ESCRAVATURA

Raquel Amorim Santos

Resumo


Este estudo analisa a difusão do racismo cientifico no Brasil, reconhecendo seu caráter estrutural. Reconhecê-lo desta forma significa perceber que Cor, raça e preconceito no Brasil compõe o plexo de concepções para o enfrentamento das questões raciais e de seus desdobramentos nocivos na formação de crianças e adolescentes, por meio da construção de uma nova forma de se pensar a formação da nação e da nacionalidade.  O estudo é de abordagem qualitativa com aplicação da pesquisa bibliográfica com base em Skidmore (2012), Schwarcz (1993), Guimarães (1999), Ianni (1962, 1978), Hasenbalg (2005), Munanga (2004), Hofbauer (2006), Costa (2006), entre outros. A análise aponta que o mestiço era admitido como elemento transitório que levaria a constituição de uma nação de brancos.

Palavras-chave: Racismo Científico. Raça. Pós-Escravatura


Palavras-chave


Racismo Científico. Raça. Pós-Escravatura

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Nação e Consciência Nacional. São Paulo: Ática, 1989.

COELHO, Wilma de Nazaré Baía. A cor ausente. 2ª ed. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2009.

______, COELHO, Mauro Cezar. Raça, cor e diferença. (Org.). Belo Horizonte: Mazza, 2008.

COSTA, Sérgio. O branco como meta: apontamentos sobre a difusão do racismo científico no Brasil pós-escravocrata. Estudos Afro-Asiáticos, nº 1/2/3, Jan-Dez 2006, p. 47-68.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime patriarcal. Rio de Janeiro: Maia & Schmidt, [1933] 1999.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. A questão racial na política brasileira (os últimos quinze anos). Tempo Social; Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 13(2), novembro de 2001, p. 121-142.

_______. Racismo e Anti-Racismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 1999.

_______. Classes, Raças e Democracia. São Paulo: Editora 34, 2002.

_______. A recepção de Fanon no Brasil e a identidade negra. Novos Estudos -- CEBRAP, n. 81, julho 2008, p. 99-114.

HANCHARD, Michael George. Orfeu e o poder: o movimento no Rio de Janeiro e São Paulo (1945-1988). Tradução, Vera Ribeiro -- Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

HASENBALG, Carlos Alfredo. A discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Tradução Patrick Beurglion. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2005 [1979].

HOFBAUER, Andreas. Uma história de branqueamento ou o negro em questão. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. -- 26. ed. -- São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

IANNI, Octávio. Pensamento social no Brasil. Bauru, São Paulo:EDUSC, 2004.

______. As Metamoforses do Escravo. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1962.

______. A Dialética das Relações Raciais, apresentado no Encontro da ANPOCS em 2003. Capturado em http://www.antropologia.com.br/arti/colab/a16-oianni.pdf, dia 11.06.2011.

______. Escravidão e Racismo. São Paulo: Editora Hucitec, 1978.

LENHARO, Alcir. Sacralização da política. Campinas: Papirus-Ed. Unicamp, 1986.

LESSER, Jeffrey. Legislação imigratória e dissimulação racista no Brasil. Arché, vol. 3, nº8, pp. 79-98, 1994.

MUNANGA, Kabengele . O negro na sociedade brasileira: resistência, participação e contribuição. 2004.

ORTIZ, Renato. A sociologia de Pierre Bourdieu. São Paulo: Olho d' Água, 2003.

SEYFERTH, Giralda. Os paradoxos da miscigenação: observação sobre o tema migração e raça no Brasil (1870-1930). Estudos Afro-Asiáticos, nº 20, pp.165-185, 2001.

SCHWARCZ, Lilia K. Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil: 1870 -1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

_______. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

_______. Nem preto, nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na sociabilidade brasileira. São Paulo: Claro Enigma, 2012.

_______.; BOTELHO, André (orgs.). Cidadania, um projeto em construção: minorias, justiça e direitos. São Paulo: Claro Enigma, 2012.

SISS, Ayhas. Afro-brasileiros, cotas e ação afirmativa: razões históricas. Rio de janeiro: Quartet; Niterói: PENESB, 2003.

SKIDMORE, Thomas. Preto no branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

_______. Brasil: de Castelo a Tancredo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

_______. Fato e Mito: Descobrindo um problema racial no Brasil. Cadernos de Pesquisa, Fundação Carlos Chagas, São Paulo, n. 79, 1991, p. 05-16.

_______. O Brasil Visto de Fora. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

VENTURA, Roberto. Estilo tropical: a natureza como pátria. Ideologies & Literature New Series, vol II, nº, pp. 145-158, 1987.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v12i25.11956

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.