EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E PROGRESSO: a Revista Pedagógica e o “problema social” do Brasil no final do século XIX

Conteúdo do artigo principal

Ana Lúcia Cunha Fernandes

Resumo

O presente texto discute aspectos relacionados com a Revista Pedagógica, periódico publicado entre 1890 e 1896 pelo Pedagogium -- Museu Escolar do Distrito Federal. Procura mostrar que a Revista desempenhou um papel significativo na produção de saberes ligados à educação e, consequentemente, na progressiva constituição do campo disciplinar pedagógico, por meio da veiculação de um discurso educacional cada vez mais especializado. Este artigo analisa o processo que levou a que a educação passasse a ser vista como um “problema social” e o desenvolvimento da idéia de que a educação poderia vir a ter um papel estratégico na superação do atraso e na promoção do progresso no Brasil.

Detalhes do artigo

Seção
Número Temático: Avaliação educacional: desafios e perspectivas no cenário nacional e internacional

Referências

BURKE, Peter (1992). Abertura: a nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter (Org). A escrita da história -- novas perspectivas. São Paulo: Unesp.

CARVALHO, José Murilo de (1999). Os bestializados -- o Rio de Janeiro e a República que não foi. 3a ed. São Paulo: Cia das Letras. DUSSEL, Inés (2001). ¿Existió una pedagogia positivista? In: PINEAU, Pablo;

DUSSEL, Inés & CARUSO, Marcelo. La escuela como máquina de educar. Tres escritos sobre un proyecto de la modernidad. Buenos Aires: Paidós.

FERNANDES, Ana Lúcia C. (2004). A “santa causa da instrução” e o “progredimento da humanidade”. Revistas pedagógicas e construção do

conhecimento pedagógico no Brasil e em Portugal no final do século XIX. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: PUC-Rio.

GONDRA, José. Entre os frutos e o arvoredo: a docência no projeto educacional republicano (1890/1896). (1997). História da Educação. ASPHE/FaE/UFPel, v.2, p. 83-97.

GONDRA, José (2002). Modificar com brandura e prevenir com cautela. Racionalidade médica e higienização da infância. In: FREITAS, Marcos C e KUHLMANN Jr., Moysés (Orgs). Os intelectuais na história da infância. São Paulo: Cortez.