POSFÁCIO - UMA QUESTÃO DE PONTO DE VISTA

Anita Leandro

Resumo


E se a longa história da relação entre cinema e pedagogia não passasse de uma feliz coincidência de pontos de vista, ou seja, uma confluência de posições políticas na escolha do lugar a partir do qual se constrói uma imagem do mundo? Definido dessa forma, como o gesto político que rege a construção do olhar, o ponto de vista torna as dimensões estética e ética do cinema indissociáveis, suscitando um debate que concerne, finalmente, não só à arte cinematográfica, mas também à escola, lugar que, da mesma forma que o cinema, enfrenta problemas como a organização do espaço, a relação com o tempo e o questionamento do poder discursivo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAZIN, André. Qu'est-ce que le cinéma. Paris: Les Editions de Cerf, 1994.

BERGALA, Alain. Hipothèse cinéma. Petit traité de transmission du cinéma à l'école et ailleurs. Paris: Cahiers du cinéma, 2002.

BERGALA, Alain. Le Point de vue. Scérén-L'Eden cinéma, 2006.

COMOLLI, Jean-Louis. Voir et pouvoir. L'innoncence perdue: cinéma, télévision, fiction, documentaire. Lagrasse: Verdier, 2004.

COMOLLI, Jean-Louis. “Juissance et perte du personnage” , artigo publicado em Episodic nº 7, Personnage/Spectateur, 1999-2000.

GODARD, Jean-Luc. Jean-Luc Godard par Jean-Luc Godard. Tome 1. Paris: Cahiers du cinéma, 1998.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v5i10.1617

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.