AS CRIANÇAS E OS LIVROS

Claudia Pimentel

Resumo


O artigo discute parte dos resultados de pesquisa de doutorado (PIMENTEL, 2011) e tem por objetivo analisar algumas estratégias usadas pelas crianças para lidar com a cultura (GOUVÊA, 2007; SARMENTO e GOUVÊA, 2008). Para compreender a dimensão da linguagem e a relação significante-significado, aborda a função simbólica analisada por Piaget (1956), percebendo com Bakhtin (1993) que não é possível descartar as condições de produção de sentidos como uma luta de forças. Considerando as condições materiais e as relações interpessoais para a produção do conhecimento, as análises do que foi observado em pesquisa são pontuadas por implicações pedagógicas sobre leitura de livros de literatura infantil.

Palavras-chave


Infância, linguagem e cultura; Leitura literária; Sala de leitura.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Para uma filosofia do ato (1919/1921). Toward a Philosophy of Act. Translated by V. Liapunov: University of Texas Press, 1993.

BAKHTIN, Mikhail. (Volochinov). Marxismo e filosofia da linguagem. 11ª ed. São Paulo: Editora Hucitec, 2004.

BRESSON, François. A leitura e suas dificuldades. In: CHARTIER, Roger (org.). Práticas de leitura. São Paulo: Estação Liberdade. 2001. pp. 25-34.

CORSINO, Patrícia. Literatura na educação infantil: possibilidades e ampliações. In: Literatura: ensino fundamental. Coordenação: Aparecida Paiva, Francisca Maciel, Rildo Cosson . Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. pp.183-204. (Coleção Explorando o Ensino; v.20).

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v6i11.1625

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.