PARA ONDE VAI A EDUCAÇÃO AMBIENTAL? O CENÁRIO POLÍTICO-IDEOLÓGICO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA E OS DESAFIOS DE UMA AGENDA POLÍTICA CRÍTICA CONTRA-HEGEMÔNICA

Philippe Pomier Layrargues

Resumo


O presente ensaio problematiza a categorização das correntes de pensamento políticopedagógicas na Educação Ambiental. A ideia que se quer debater é de que a Educação Ambiental brasileira está vivendo uma crise de identidade, que se manifesta tanto na contradição entre teoria e prática em diversas expressões da sua vivência pedagógica -- que continuamente afasta sua práxis da radicalidade da crítica anticapitalista; como na dificuldade de se superar o pragmatismo atualmente hegemônico. A partir da análise do quadro atual e tendencial, investigamos quais elementos poderiam compor uma agenda política na direção de outro projeto societário.

Palavras-chave


Educação Ambiental, corrente de pensamento político-pedagógica, classificação tipológica weberiana.

Texto completo:

PDF

Referências


AVANZI, M.R. Ecopedagogia. In: LAYRARGUES, P.P. (Org.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente. 2004. p. 35-49.

BENYUS, J.M. Biomimicry: innovation inspired by Nature. New York: William Morrow.1997.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

BOURDIEU, P. Lições da aula. São Paulo: Editora Ática, 2001.

CARVALHO, I.C. de M. A configuração do campo de pesquisa em Educação Ambiental: considerações sobre nossos autorretratos. In: Pesquisa em Educação Ambiental, 4(2):127-134. 2009.

CHAUÍ, M. Cultura e Democracia: o discurso competente e outras falas. 9ª ed., São Paulo: Cortez, 2001.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v7i14.1677

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.