A EXPANSÃO ESCOLAR EM RECONFIGURAÇÃO

Eveline Algebaile

Resumo


Partindo da consideração das formas históricas de realização e discussão da expansão escolar no Brasil, o artigo aborda as mutações em curso nas formas de escolarização no âmbito da educação básica, considerando a multiplicação de vias formativas e suas diferenciações quanto ao conteúdo da formação, à duração, às bases institucionais dos processos formativos e aos modos de articulação com novas etapas formativas. São discutidos os traços gerais dessa diferenciação formativa e seus significados para a conservação ou superação de padrões desiguais de “direito à educação”, considerando-se questões relativas tanto ao acesso à formação escolar, quanto às condições de seu exercício.

Palavras-chave


Expansão escolar, escolarização, educação brasileira.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Fernando de. Novos caminhos e novos fins: a nova política de educação no Brasil. Subsídios para uma história de quatro anos. São Paulo: Melhoramentos, 1932.

BEISEGEL, Celso de Rui. Estado e Educação Popular: um estudo sobre a educação de adultos. São Paulo: Pioneira, 1974.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis, Vozes, 1998.

CAVALIERI, Ana Maria. Quantidade e racionalidade do tempo de escola: debates no Brasil e no mundo. Teias (Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, v. 6, p. 116-126, 2002.

CAVALIERE, Ana Maria; MAURÍCIO, Lúcia Velloso. A ampliação da jornada escolar nas regiões nordeste e sudeste: sobre modelos e realidades. Revista Educação em Questão

(UFRN. Impresso), v. 42, p. 251-273, 2012.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v8i15.1693

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.