Formação de professores e o Método Peripatético: diálogos entre Francisco Imbernón e Antonio Lancetti

Paula Hosana Silveira Biazus, Josete Bitencourt Cardoso, Vantoir Roberto Brancher

Resumo


O presente artigo busca materializar uma aposta de encontro entre dois autores, a saber, Francisco Imbernón e Antonio Lancetti, de forma que nos apropriamos de seus escritos sobre, respectivamente, a formação de professores e a clínica em saúde pública. Ousamos aproximar esses pensadores, pois entendemos que ambos versam sobre mudanças muito similares dentro das atividades que executam. O encontro desses autores possibilita que se transponha o paradigma atual que vivemos com relação à
formação docente, numa busca por uma lógica mais holística e humanizadora neste fazer.


Palavras-chave


Formação de Professores; Peripatético; Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


FOUCAULT, M. (2007). A Ordem do Discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 15. ed. São Paulo: Loyola.

GAUTHIER, C. (1998). Por uma teoria da Pedagogia. Ijuí: Unijuí.

IMBERNÓN, F. (2009). Formação Permanente do Professorado: Novas Tendências.

JOSSO, M.C. (2004). Histórias de Vida e Formação. São Paulo: Cortez Editora.

LANCETTI, A. (2007). Clínica Peripatética. São Paulo: Hucitec.

NÓVOA, A. (2009). Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa.

ZIMERMAN, D. (1999) Fundamentos Psicanalíticos. Porto Alegre: Artmed.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v15i32.24547

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.