Terapia ocupacional e população negra: possibilidades para o enfrentamento do racismo e desigualdade racial / Occupational Therapy and black population: possibilities for confrontation of racism and racial inequality

Magno Nunes Farias, Jaime Daniel Leite Junior, Isabelly Regianne Brasil Braga da Costa

Resumo


Os processos de inferiorização perpassam a existência da pessoa negra de maneira profunda, e podem ser identificados, principalmente, na dificuldade de se construir uma Identidade negra e nas estruturas de exclusão gerados pelo Apartheid Ocupacional. Esse é um artigo de reflexão que realiza um apanhado histórico e contemporâneo sobre a população negra no Brasil, para, assim, pensar sobre as possibilidades de atuação da Terapia Ocupacional junto a esses sujeitos.  Tal profissão procura, enquanto um agente político e social, atuar com as populações que tem sua participação ocupacional ameaçada pelas desigualdades, com a finalidade de elaborar estratégias de enfrentamento. Ao atuar ao lado da população negra, o profissional poderá agir na criação de campos de possiblidades, com o uso de atividades emancipadoras, grupais ou individuais, na busca da conscientização e empoderamento de tal povo. Além disso, o Terapeuta Ocupacional coloca-se como articulador na procura de possibilitar a participação social, rompendo com processos de exclusão social.

 

Abstract

 

The processes of inferiorization affect the existence of the black person in a profound way, mainly in the difficulty of constructing a Black Identity and in the structures of exclusion generated by Occupational Apartheid. This is a reflection article, in which a historical and contemporary survey of the black population in Brazil was carried out, in order to think about the possibilities of Occupational Therapy acting alongside these subjects. This profession looks forward, as a political and social agent, to work with populations who have their occupational participation threatened by inequalities, in order to elaborate coping strategies. By acting alongside the black population, the professional is able to work in the creation of possibilities fields, with the use of group or individual emancipatory activities, in the search for awareness and empowerment of such people. In addition, the occupational therapist poses as an articulator in the search to enable social participation, rupturing processes of social exclusion.

Keywords: Occupational apartheid; Social participation; Racism; Occupational therapy.


Palavras-chave


Apartheid ocupacional; Participação social; Racismo; Terapia ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Quijano A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: Lander, E. A colonialidade do saber: Eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

Arroyo MG. Ações Coletivas e Conhecimento: Outras Pedagogias?. Universidade Popular dos Movimentos Sociais, 2009. Disponível em: < http://www.universidadepopular.org/site/pages/pt/documentos/leituras/leituras-sobre-a-upms.php>. Acesso em: 01 de junho de 2016.

Munanga K. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. Palestra proferida no 3º Seminário Nacional Relações Raciais e Educação-PENESB-RJ, 2003. Disponível em: < http://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Uma-abordagem-conceitual-das-nocoes-de-raca-racismo-dentidade-e-etnia.pdf>. Acesso em: 07 de novembro de 2016.

Munanga K. Negritude: usos e sentidos. Coleção Cultura Negra e Identidades. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

Costa JF. Prefácio. In.: SOUZA, N. S. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edição Graal, 1983. (Coleção Tendências; v. 4).

Cardoso L. Branquitude acrítica e crítica: A supremacia racial e o branco anti-racista. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud. Manizales. 2010;8(1):607-630.

Souza NS. Tornar-se negro: as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Edição Graal, 1983. (Coleção Tendências; v. 4).

Munanga K. A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil - Entrevista de Kabengele Munanga. Estudos Avançados. São Paulo. 2004; 18 (50): 51-56.

Munanga K. Negritude e identidade negra ou afrodescendente: um racismo ao avesso? Revista da ABPN. São Paulo. 2012; 4 (8):06-14.

Geledés Instituto da Mulher Negra. Racismo institucional: uma abordagem conceitual. Geledés -- Instituto da Mulher Negra -- Centro Feminista de Estudos e Assessoria, s/a

Gonzalez L; Hasenbalg C. Lugar de negro. -- Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

Almeida MC; Barros DD; SOARES CRS; Galvani D. Glossário de base para a Terapia Ocupacional na Assistência Social. In.: Chagas, JNM; Barros, DD; Almeida, MC; COSTA, SL. Terapia Ocupacional na Assistência Social (SUAS). - Rio de Janeiro, RJ CREFITO2, 2015.

Kronenberg F; Pollard N. Superar el apartheid ocupacional: exploración preliminar de la naturaliza política de la terapia ocupacional. In: Kronenberg, F; Algado, SS.; Pollard, N. Terapia ocupacional sín fronteras: aprendiendo el espíritu de supervivientes. Buenos Aires -- Madrid: Médica Panamericana, 2006.

Instituto Amma Psique e Negritude - AMMA. Os efeitos psicossociais do racismo. São Paulo: Impressão Oficial, 2008.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA. Retratos das desigualdades de gênero e raça. - 4ª ed. - Brasília: Ipea, 2011.

Almeida MC; Barros DD; SOARES CRS; Galvani D. Terapia Ocupacional Social: notas acerca das ações na Assistência Social e para o desenvolvimento comunitário. In.: Chagas, JNM; Barros, DD; Almeida, MC; COSTA, SL. Terapia Ocupacional na Assistência Social (SUAS). - Rio de Janeiro, RJ CREFITO2, 2015.

Costa IRBB; Castro GGA. Racismo: Impacto no Desempenho Ocupacional e na Corporeidade Negra. In: V Congresso Baiano de Pesquisadores Negros, IV Encontro Estadual de Educação das Relações Étnicas, XI Semana de Educação da Pertença Afro-Brasileira e II Seminário do Mestrado em Relações Étnicas e Contemporaneidade. 2015, Jequié. Anais. Jequié: UESB, 2015. p. 1005-1006.

Calvento RAC; Anglés EL; Roca SM; Algado,SS. et al. Curso de rehabilitación basada en la comunidad: caminando hacia la justicia ocupacional. Revista informativa de la Asociación Profesional Española de Terapeutas Ocupacionales, n.43, Septiembre 2007.

Lopes RE; Malfitano APS; Silva CR; Borda PLO. Recursos e tecnologias em Terapia Ocupacional Social: ações com jovens pobres na cidade. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos. 2014;22 (3):591-602.

Malfitano APS. Contexto social e atuação social: generalizações e especificidades na terapia ocupacional. In: Lopes, RE; Malfitano, APS. Terapia ocupacional social: desenhos teóricos e contornos práticos. São Carlos: EdUFSCar, 2016.

Barros DD; Ghirardi MIG; Lopes RE. Terapia Ocupacional Social. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2002; 13(3):95-103.

Freire P. Pedagogia do Oprimido. 17 º ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Galheigo SM. Terapia ocupacional en al ámbito social: Aclarando conceptos e ideas. In: Kronenberg, F; Algado, SS.; Pollard, N. Terapia ocupacional sín fronteras: aprendiendo el espíritu de supervivientes. Buenos Aires -- Madrid: Médica Panamericana, 2006.

Barros DD; Galvani D. Terapia Ocupacional: social, cultural? Diversa e múltipla! In: Lopes, RE; Malfitano, APS. Terapia ocupacional social: desenhos teóricos e contornos práticos. São Carlos: EdUFSCar, 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. -- 2. ed. -- Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB