Variação semântico-lexical em Santana de Parnaíba: amostra dialetal contrastiva

Selmo Ribeiro Figueiredo Junior, Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida

Resumo


Este artigo traz um recorte semântico-lexical do projeto de atlas linguístico da região do Médio Tietê, no Estado de São Paulo, Brasil. Dentre as dez localidades que perfazem a rede de pontos de investigação, apresentamos aqui dados do município de Santana de Parnaíba (SdP). Trata-se de dez questões onomasiológicas respondidas por informantes de perfis sociais distintos. As perguntas foram extraídas do questionário semântico-lexical do Atlas linguístico do Brasil (CARDOSO, 2014) e aplicadas após modificações. Elas tematizam características pessoais, fenômenos e entes no mundo físico, cujas respostas mais frequentes em SdP foram RAIZ, URUBU, JOÃO-DE-BARRO, VAREJEIRA, TERÇOL, CATARRO, TAGARELA, MÃO-DE-VACA, BALANÇO e INTERRUPTOR. Para a elicitação, aplicou-se a técnica de entrevista em três passos, que basicamente consiste em (i) perguntar, (ii) insistir e (iii) sugerir (THUN, 2000). O objetivo do presente texto é (a) sistematicamente expor e brevemente comentar as (primeiras) respostas espontâneas dos parnaibanos. Adicionalmente, apresentamos: (b) três critérios de invalidação de respostas; (c) correlações internas linguístico-sociais; (d) contrastes das normas lexicais e formas mais frequentes apuradas em SdP com resultados de seis atlas linguísticos fora do perímetro da região do Médio Tietê; e (e) observações linguísticas complementares acerca das lexias. No Brasil, a pesquisa é financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), no âmbito do Projeto para a História do Português Paulista (PHPP), e, na Alemanha, pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD).


Palavras-chave


Médio Tietê. Dialeto Caipira. Dialetologia. Sincronia. Comparabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


RAZKY, Abdelhak; RIBEIRO, Celeste Maria da Rocha; SANCHES, Romário Duarte. Atlas linguístico do Amapá. São Paulo: Labrador, 2017.

ALTENHOFEN, Cléo Vilson; KLASSMANN, Mário Silfredo (Orgs.). Atlas linguístico-etnográfico da Região Sul do Brasil – ALERS: cartas semântico-lexicais. Porto Alegre: UFRGS, 2011. Florianópolis: UFSC, 2011.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino da Silva et al. Atlas linguístico do Brasil. Vols. 1 e 2. Londrina: EDUEL, 2014.

ALMEIDA, Michelle Viana. Edição de documentos do século XIX para o estudo da variedade linguística em Porto Feliz. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

AGUILERA, Vanderci de Andrade. Atlas linguístico do Paraná. Curitiba: Imprensa Oficial do Estado, 1994.

ALTINO, Fabiane Cristina. Atlas linguístico do Paraná – ALPR II. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem). Centro de Letras e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2007.

AMARAL, Amadeu. O dialeto caipira: gramática, vocabulário. São Paulo: O Livro, 1920.

CRISTIANINI, Adriana Cristina. Atlas semântico-lexical da região do Grande ABC. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

AUGUSTO, Vera Lúcia Dias dos Santos. Atlas semântico-lexical do Estado de Goiás. Vols. I, II e III. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

ENCARNAÇÃO, Márcia Regina Teixeira da. Atlas semântico-lexical de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba – municípios do litoral norte de São Paulo. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

BRITO, Mariana Santiago de. Estudo do vocabulário do Cururu de Piracicaba. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1975.

FILIPAK, Francisco. Dicionário sociolinguístico paranaense. Curitiba: Imprensa Oficial, 2002.

GARCIA, Rosicleide Rodrigues. Para o estudo da formação e expansão do dialeto caipira na região de Capivari. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

IHERING, Rodolpho von. Dicionário dos animais do Brasil. Brasília: Universidade de Brasília, 1968.

MOTA, Camila. Edição de documentos oitocentistas e estudo da variedade linguística em Santana de Parnaíba. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

PHILIPPSEN, Neusa Inês. A constituição do léxico norte mato-grossense na perspectiva geolinguística: abordagens sócio-semântico-lexicais. Tese (Doutorado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

PIRES, Cibélia Renata Silva. Formação e expansão da cultura e do dialeto caipira na região de Piracicaba. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

LEAL, Eneida de Goes. Elisão silábica e Haplologia: aspectos fonológicos do falar da cidade paulista de Capivari. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

LEAL, Eneida de Goes. Teoria fonológica e variação: a queda de sílaba em Capivari e em Campinas. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

LEOPOLDINO, Everton Altmayer. A fala dos tiroleses de Piracicaba: um perfil linguístico dos bairros Santana e Santa Olímpia. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

LEVADO, Rosimeire Firão. Para o estudo da formação e expansão da cultura e do dialeto caipira na região de Tietê. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

ROMERO, Renata Maran Longuini. Estudo semântico-lexical na região de Itu. Dissertação (Mestrado Mestre em Filologia Românica e Língua Portuguesa). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SANTIAGO-ALMEIDA, Manoel Mourivaldo. História e variedade do português paulista na região do Médio Tietê. Projeto Pq/CNPq. São Paulo: Mimeo, 2013.

SILVEIRA, Roseli da. Estudo sociogeolingüístico do município de Iguape: aspectos semânticos-lexicais. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

SOARES, Rita de Cássia da Silva. Atlas semântico-lexical da região norte do Alto Tietê (ReNAT) – São Paulo. Tese (Doutorado em Línguística). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

THUN, Harald (Coord.). Atlas lingüístico diatópico y diastrático del Uruguay – Norte (ADDU-Norte). tomo I. Kiel: Westensee-Verl, 2000.

VIOLA, Wanderleia Silva Carvalho. O léxico guiratinguense na perspectiva dialetológica: aspectos semânticos-lexicais. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v5i2.27079

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.