Apontamentos sobre a prática da H(h)istória da arte

Ivair Reinaldim

Resumo


Procura-se neste texto articular alguns apontamentos acerca dos vínculos entre “arte” e “história”, “objeto” e “sujeito”, “imagem” e “texto”, sem a pretensão de esgotar os mesmos. Seu propósito principal é apresentar questões gerais formuladas a respeito da disciplina História da Arte por meio de publicações de autores considerados referenciais no campo e que se propuseram a pensar essa ampla problemática da prática da história da arte. Não se trata aqui de reivindicar originalidade em tais reflexões, mas de enumerar aspectos teórico-metodológicos capazes de articular tópicos essenciais para o debate, de modo a também viabilizar orientação pedagógica ao estudo da historiografia. Ao se identificar as convergências e divergências de enunciado e de enunciação nos discursos analisados, ressaltam-se alguns embates entre os posicionamentos dos autores – ao mesmo tempo, o desejo de ordem –, e que, de modo geral, estão ainda circunscritos ao contexto europeu, região onde a prática da História da Arte foi historicamente concebida, moldada e institucionalizada. Isso posto, um problema recorrente tem norteado o estado atual da questão: a partir da existência de cursos de graduação em História da Arte em algumas regiões do Brasil – e sua suposta primazia na formação de jovens profissionais –, em um país cujas particularidades culturais e sociais diferem do ambiente de origem da disciplina, qual história da arte é possível ser praticada?


Palavras-chave


Arte. História. Imagem. Historiografia.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARO, Danielle. O lugar da História da Arte no Brasil: breve revisão da instituição da história da arte no Brasil a partir dos cursos de graduação. Cuadernos de Música, Artes Visuales y Artes Escénicas, Bogotá, Volumen 9, Número 1, p. 69-93, Enero-Junio de 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2970/297031872004.pdf Acesso em: 28 de janeiro de 2020.

ARGAN, Giulio Carlo. A História da Arte. In: História da arte como história da cidade. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes: 1998, p. 13-72.

ARGAN, Giulio Carlo. Preâmbulo ao estudo da história da arte. In: ARGAN, Giulio Carlo; FAGIOLO, Maurizio. 2ª ed. Guia de história da arte. Lisboa: Estampa, 1994, p. 11-42.

BELTING, Hans. Por uma antropologia da imagem. Concinnitas, Revista do Instituto de Artes da Uerj, Rio de Janeiro, ano 6, vol. 1, n. 8, p. 64-78, jul. 2005.

BELTING, Hans. O fim da história da arte: uma revisão dez anos depois. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

BELTING, Hans. Semelhança e presença: a história da imagem antes da era da arte. Rio de Janeiro: [s./n.], 2010.

BOUDON-MACHUEL, Marion. Porque “a história da arte no Brasil”? Perspective, La Revue de l’Institut national d’histoire de l’art / INHA, Paris, n. 2, décembre 2013. Disponível em: http://journals.openedition.org/perspective/3930. Acesso em: 27 de janeiro de 2020.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte. São Paulo: 34, 2013.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A história da arte como disciplina anacrônica. In: Diante do tempo: história da arte e anacronismo das imagens. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2015.

PANOFSKY, Erwin. A história da arte como uma disciplina humanística. In: Significado nas artes visuais. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1979, p. 19-46.

PANOFSKY, Erwin. Três décadas de história da arte nos Estados Unidos. In: Significado nas artes visuais. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1979, p. 411-439.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v6i2.32353

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ivair Reinaldim

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.