Dança e docência:

entre desafios e possibilidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.58786/rbed.2023.v1.n3.58970

Palavras-chave:

Formação de professores de dança, Ensino de dança na escola., Dança

Resumo

O artigo teve como foco a formação do professor de dança para o contexto escolar, tendo por objetivo compreender como vem se configurando a formação inicial do professor de dança no Brasil, no contexto de uma universidade pública com trajetória consolidada na área. Teoricamente operou com a ideia de profissional prático reflexivo, em articulação com o conhecimento profissional docente. Metodologicamente, desenvolveu-se com entrevistas narrativas. A análise foi construída a partir do eixo: a formação inicial do professor de dança. Defende-se que o estudante possa experimentar a docência em ambiente escolar, ainda que seja difícil encontrar professores com essa formação atuando com o ensino de dança nas escolas. Conclui-se que os processos de ensino e aprendizagem em dança dialogam e encontram aderência com a perspectiva do ateliê e da prática reflexiva. 

Palavras-chave:formação de professores de dança; epistemologia da prática; base deconhecimento profissional docente.

Biografia do Autor

Cecília Silvano Batalha, Fundação Municipal de Educação de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil.

Fundação Municipal de Educação de Niterói (FME), Niterói–Rio de Janeiro (RJ)–Brasil. Professora de Dança. Doutora em Educação pela UFRJ. Pesquisadora vinculada ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática e Formação deProfessores (Geped/UFRJ/CNPq).

Giseli Barreto da Cruz, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil.

Professora da Faculdade de Educação da UFRJ vinculada ao Programa de Pós graduação em Educação. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática e Formação de professores (GEPED/CNPQ). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPQ e Cientista do nosso Estado da Faperj.

Referências

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB – Lei n° 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996.

BUENO, Belmira Oliveira. O método autobiográfico e os estudos com histórias de vida de professores: a questão da subjetividade. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 28, n.1, p. 11-30, 2002.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Formação e socialização: os ateliês biográficos de projeto. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.32, n.2, p. 359-371, maio/ago. 2006.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Abordagens metodológicas na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação. V. 17, n. 51, set/dez. 2012.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica ou a construção compartilhada de um saber do singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador, v. 01, n. 01, p. 133-147, jan./abr. 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 20ª São Paulo: Paz e terra, 1997.

MARQUES, I. A. Dançando na escola. 5ª Edição. São Paulo: Cortez, 2010.

MILLS, W. C. A Imaginação Sociológica. 6ª edição. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

SCHÖN, Donald. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

SHULMAN. Lee Shulman. Conhecimento e ensino: fundamentos para nova reforma. Cadernos Cenpec. v. 4, n. 2, p. 196-229, 2014.

SOTER, S. C. Saberes docentes para o ensino de Dança: relação entre saberes e formação inicial de licenciados em Dança e Educação Física que atuam em escolas da rede pública de ensino do Rio de Janeiro e região metropolitana 2016. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

Publicado

2023-09-02 — Atualizado em 2024-05-09

Versões

Como Citar

SILVANO BATALHA, Cecília; BARRETO DA CRUZ, Giseli. Dança e docência: : entre desafios e possibilidades. Revista Brasileira de Estudos em Dança, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 28–48, 2024. DOI: 10.58786/rbed.2023.v1.n3.58970. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rbed/article/view/58970. Acesso em: 20 jun. 2024.