Etnografias na/e Educação:um olhar sobre quilombolas no Brasil e africanos em Portugal

Neusa Maria Mendes Gusmão, Marcia Lucia A. de Souza

Resumo


O presente texto busca revelar o campo teórico que orienta a prática e, com ela, os desafios do trabalho de campo em contextos diversos: quilombos brasileiros e Aldeias d'África em Portugal. Em tela, quilombolas e imigrantes africanos, cujas experiências de vida ajudam a compor a prática do trabalho antropológico, de modo a tornar possível que experiências de pesquisa exponham a forma de fazer pesquisa, os pressupostos centrais desse fazer, ou seja, sua prática. Trata-se de experiências e práticas de pesquisa decorrentes de duas etnografias realizadas por uma antropóloga e uma educadora e que apontam para uma Antropologia da Educação/antropologia e educação como campo de muitas possibilidades.


Palavras-chave


Antropologia; Etnografia: Educação

Texto completo:

PDF

Referências


BERREMAN, G. Etnografia e controle de impressões em uma aldeia do Himalaia. In:ZALUAR, A. (Org.). Desvendando máscaras sociais. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975, p. 123-174.

BRANDÃO, C. R. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 2004.

______. Algumas palavras sobre cultura e educação. In: ROCHA, G.; TOSTA, S. P. Antropologia & Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009, p. 11-20.

CARVALHO, A. D. A educação como projeto antropológico. 2ª ed. Porto: Edições Afrontamento, 1992.

DA MATTA, R. O ofício do etnólogo ou como ter anthropological blues. In: Nunes, Edson de Oliveira (Org.). A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978. p. 23-35.

DAUSTER, T.; TOSTA, S. P.; ROCHA, G. (Org.). Etnografia e educação. Rio de Janeiro: Lamparina, 2012.

FERRÁNDIZ, F. Etnografías contemporâneas. Aclajes, métodos y claves para el futuro. Barcelona: Anthropos Editorial; México: UAMIztapalata. División de Ciencias Sociales y Humanidades, 2011.

FONSECA, C. Quando cada caso NÃO é um caso. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 10, p. 58-78, jan./fev/abr. 1999.

GONÇALVES, M. A. A reeducação do antropólogo: a pedagogia da antropologia. In: TOSTA, S. P. e ROCHA, G. (Org.). Diálogos sem fronteira. História, etnografia e educação em culturas ibero-americanas. Belo Horizonte: Autêntica, 2014. p. 149-164.

GUSMÃO, N. M. M. Terra de Pretos, terra de mulheres. Terra, mulher e raça num bairro rural negro. Brasília: Fundação Palmares, 1995.

________. Antropologia e Educação: origens de um diálogo. In: GUSMÃO, N. M. M. (Org.). Antropologia e Educação: Interfaces do ensino e da pesquisa. Cadernos CEDES, Campinas: SP, ano 18, v. 18, n. 43, p. 8-25, dez. 1997.

________. Os Filhos da África em Portugal: Antropologia, multiculturalidade e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. (Edição portuguesa, Lisboa: ICS, 2004).

________. Aportes finais de um debate aberto. In: TOSTA, S. P. e ROCHA, G. (Org.). Diálogos sem fronteira. História, etnografia e educação em culturas ibero-americanas. Belo Horizonte: Autêntica, 2014. p. 221-227.

________. Trajetória, percalços e conquistas da Antropologia da Educação no Brasil. In: GUEDES, S. L.; CIPINIUK, T. A. (Org.). Abordagens etnográficas sobre educação. Adentrando os muros da escola. Niterói/RJ: Ed. Alternativa/Faperj. 2014a. p. 13-24.

________. Antropologia e Educação: um campo e muitos caminhos. Revista Linhas Criticas. Antropologia e Educação: revista da Faculdade de Educação da UNB, Brasília, v. 21, n. 44, p.19-37, jan./abr. 2015. Disponível em:

Acesso em: 25 set. 2017.

_______. Antropologia, Cultura e Educação na Formação de Professores. Revista Anthropológicas, Pernambuco, ano 20, 27(1), p. 45-71, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2017.

KUPER, A. Cultura. A visão dos antropólogos. Bauru,São Paulo: EDUSC, 2002.

MAGNANI, J. G. C. A etnografia como prática e experiência. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 15, n. 32, p. 129-156, jul./dez. 2009. Disponível em:. Acesso em: 14 abr. 2016.

SOUZA, M. L. A. "Ser quilombola": identidade, território e educação na cultura infantil. 2015. 265f. Tese (Doutorado em Educação) -- Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

_______. Educação e identidade no Quilombo Brotas. 2009. 209f. Dissertação (Mestrado em Educação) -- Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

TOSTA, S. P. e ROCHA, G. (Org.). Diálogos sem fronteira. História, etnografia e educação em culturas ibero-americanas. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

VIEIRA, Ricardo. Educação e diversidade cultural: notas de antropologia da educação. Porto: Afrontamento, 2011.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v13i26.13651

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.