Escolarização e trabalho infantojuvenil no Maciço do Morro da Cruz – Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Soraya Franzoni Conde, Larissa do Livramento Pereira, Valéria Gontarczyk

Resumo


A relação entre o trabalho precoce e a escolarização ainda é um tema central para pensar a equidade e a permanência de jovens no processo de escolarização no Brasil. Este artigo tem por objetivo refletir sobre a relação entre o trabalho infantojuvenil e a escolarização de estudantes matriculados em 10 escolas
localizadas no Maciço do Morro da Cruz, território precário e periférico da ilha de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Foi realizada análise documental dos Projetos Políticos Pedagógicos e Planos de Gestão das escolas participantes e, para isso, utilizamos os seguintes instrumentos de coleta de dados: questionário, entrevistas com grupos focais com crianças, adolescentes e jovens que começaram a trabalhar precocemente e observações diretas registradas em diário de campo. Os dados foram tabulados e analisados à luz das seguintes categorias: escolarização, trabalho, classe social, infância e juventude. Considera-se que parte dos estudantes abandonam ou se afastam sazonalmente da escola em função da necessidade precoce de trabalhar, fato esse que está entre os principais fatores que geram evasão e abandono escolar.


Palavras-chave


trabalho, escola, infância e juventude

Texto completo:

PDF

Referências


CONDE, S. F. A. Escola e a exploração do trabalho infantil na fumicultura catarinense. Florianópolis, SC: Em Debate, 2016.

DANTAS, J. Projeto histórico e construção curricular: a experiência social do fórum do Maciço do Morro da Cruz. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 88, n. 218, p. 122-39, jan./abr. 2007. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.88i218.767

FONTES, V. Capitalismo em tempos de uberização: do trabalho ao emprego. Marx e o Marxismo, Rio de Janeiro, v. 5, n. 8, p. 45-67, jan./jun. 2018.

FORACCHI, M. A. A juventude na sociedade moderna. São Paulo, SP: Pioneira, 1977.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA – IBGE. Censo demográfico 2010. Brasília, DF, 2010. Disponível em . Acesso em: 10 mar. 2018.

MARCASSA, L. P. Juventude pobre e escolarização: relações com a escola e a cultura em territórios de precariedade. Florianópolis, SC: Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.

MARX, K. O capital. São Paulo, SP: Nova Cultural, 1988.

MARX, K. Trabalho assalariado e capital. In: MARX, K.; ENGELS, F. (Orgs.). Obras escolhidas em três tomos. Lisboa: Avante, 2006.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. 7. ed. São Paulo, SP: Hucitec, 1989.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT. Uma aliança global contra o trabalho forçado. Genebra, 2005. Disponível em: . Acesso em: 6 out. 2016.

RUBIN, I. I. A teoria marxista de valor. São Paulo, SP: Polis, 1987

SANTOS, J. L. Trabalho infantil no espaço doméstico: exploração oculta. O Social em Questão, v. 19, n. 35, p. 149-70, fev. 2016.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v14i29.20896

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.