Avaliação motora para prevenção de deficiências do bebê pré-termo e em risco de atraso no desenvolvimento / Motor evaluation for preventing disabilities on preterm babies and babies at risk of developmental delays

Laene Jeronimo Mendes, Alice Sá Carneiro Ribeiro, Larissa Gundes Toqueti, Lucieny Almohalha

Resumo


Introdução: O bebê de risco é considerado como aquela criança que está exposta a fatores biológicos e/ou ambientais que interferem com o desenvolvimento infantil típico e impactam a aquisição das habilidades esperados para a faixa etária dos primeiros anos de vida. Objetivo: Avaliar o desenvolvimento motor de bebês pré-termo e a termo com risco de atraso no desenvolvimento atendidos em um ambulatório de pediatria. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo de campo, com abordagem observacional. Foram avaliados 17 lactentes de quatro, seis e oito meses de idade, com risco de atraso no desenvolvimento por meio do consentimento dos pais. Os instrumentos para coleta de dados foram um roteiro elaborado pelas pesquisadoras com perguntas relacionadas à história passada e atual dos bebês e seus pais, e a Alberta Infant Motor Scale (AIMS) para avaliação do desenvolvimento motor. Resultados: Verificou-se que dois bebês apresentaram atraso no desenvolvimento motor, três eram suspeitos de atraso e doze tiveram desenvolvimento motor normal para a idade atual. Constatou-se que os bebês que estavam em intervenção terapêutica ocupacional precoce apresentaram desenvolvimento típico em comparação aos bebês que foram assistidos apenas no serviço de rotina pediátrica. Conclusão: Destaca-se a importância da estimulação precoce nos primeiros meses de vida para prematuros e de crianças com risco de atraso no desenvolvimento, uma vez que todos as crianças que estavam no programa de estimulação precoce e recebendo as intervenções de terapia ocupacional, apresentaram desenvolvimento motor adequado para a idade.

 

Abstract

Introduction: The baby at risk is considered as that child who is exposed to biological and/or environmental factors that interfere with the typical child development and impact the acquisition of the skills expected for the age group of the first years of life. Objective: to evaluate developmental delays in premature infants and terms of risk of developmental delay seen in a pediatric outpatient clinic. Methods: This is a descriptive field study, with an observational approach. 17 infants of four, six and eight months of age were taxed, with risk of developmental delay through parental consent. The instruments for data collection were developed by researchers with questions related to the recent and current history of their parents and parents, and an AIMS (Alberta Infant Motor Scale) to assess the development of these engines. Results: It was found that two patients had delayed motor development, three were suspected of delayed development and had normal motor development for their current age. It was found that babies who were undergoing occupational therapeutic intervention started the typical development compared to babies who were seen only in the pediatric routine service. Conclusion: The importance of early stimulation in the first months of life for premature children and those at risk of developmental delay is highlighted, since all children as children who have had no early stimulation program and receive occupational therapy assessments, age-appropriate motor development.

Keywords: Child Development; Early Intervention; Occupational Therapy.

 

Resumen

Introducción: El bebé en riesgo se considera aquel niño que está expuesto a factores biológicos y / o ambientales que interfieren con el desarrollo típico del niño e impactan la adquisición de las habilidades esperadas para el grupo de edad de los primeros años de vida. Objetivo: Evaluar posibles retrasos motores en recién nacidos prematuros y a término con riesgo de retraso en el desarrollo atendidos en una clínica ambulatoria pediátrica. Métodos: Este es un estudio de campo con un enfoque observacional y descriptivo. Diecisiete bebés de cuatro, seis y ocho meses fueron evaluados, con riesgo de retraso en el desarrollo a través del consentimiento de los padres. Los instrumentos para la recolección de datos fuero unnguión desarrollado por los investigadores con preguntas relacionadas con la historia pasada y actual de los bebés y sus padres, y la Escala motora infantil de Alberta (AIMS) para evaluar el desarrollo motor. Resultados: Se descubrió que dos bebés tenían retraso en el desarrollo motor, treseransospechosos de retraso y doce tenía nun desarrollo motor normal para la edad actual. Se descubrió que los bebés que se sometían a una intervención terapéutica ocupacional temprana mostraronun desarrollo típico en comparación con los bebés que solo fueron atendidos en el servicio de rutina pediátrico. Conclusión: Se destaca la importancia de la estimulación tempranaen los primeros meses de vida para bebés prematuros y niños en riesgo de retraso del desarrollo, ya que todos los niños que esta banenel programa de estimulación temprana y que recibieron intervenciones de terapia ocupacional mostraron desarrollo motor apropiado para la edad.

Palabras clave: Desarrollo infantil, estimulación temprana, terapia ocupacional.

 

 

 


Palavras-chave


Desenvolvimento infantil, estimulação precoce, Terapia Ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Borba LS. Desenvolvimento motor e cognitivo de bebês de mães adolescentes e adultas ao longo de quatro meses: os principais preditores motores e cognitivos. [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Educação Física; 2013.

Gomes LX. Desenvolvimento motor de recém nascidos prematuros. [Trabalho de conclusão de curso] João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências da Saúde; 2018.

Ferreira R de Carvalho, Alves CRL, Guimarães MAP, Menezes KKPde, Magalhães Lívia de Castro. Efeitos da intervenção precoce com foco na família no desenvolvimento de crianças nascidas prematuras e/ou em risco social: metanálise. J. Pediatr. 2020. [Acesso em: 16 de março de 2020]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0021-75572020000100020&script=sci_arttext&tlng=pt.

Tudella E, Toledo AMde, Lima-Alvarez, CDde. Intervenção precoce: Evidências para a prática clínica em lactentes de risco. 1 ed. Curitiba: Appris; 2019.

Formiga CKMR, Pedrazzani ES, Tudella E. Os programas de intervenção precoce. In: Intervenção precoce com bebês de risco. São Paulo: Atheneu; 2011. p. 131-137.

Silva OPV. A importância da família no desenvolvimento do bebê prematuro. Psicol. teor. prát. São Paulo. 2002; 4(2): 15-24.

Gricolatto T, Chaves GFS, Silva MBDC, Pfeifer LI. Intervenção Terapêutica Ocupacional em CTI Pediátrico: um estudo de caso. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2008; 16(1): 37-46.

Nunes GC, Nascimento MCDdo, Luz MACA. Pesquisa científica: conceitos básicos. Id on Line Revista de Psicologia. 2016; 10(29): 144-151.

Herrero D, Gonçalves H, Siqueira AAF, Abreu LC. Escalas de desenvolvimento motor em lactentes: Test of Infant Motor Performance e a Alberta Infant Motor Scale. Rev. Bras. Cresc. e Desenv. Hum. São Paulo. 2011; 21(1): 122-132.

Valentini NC, Saccani R. Escala Motora Infantil de Alberta: validação para uma população gaúcha. Rev. Paul. Pediatr. 2011; 29(2): 231-238.

Darrah J, Piper M, Watt MJ. Assessment of gross motor skills of at-risk infants: predictive validity of the Alberta Infant Motor Scale. Dev Med Child Neurol. 1998; 40(7): 485-491.

Formiga CKMR. Detecção de risco para problemas no desenvolvimento de bebês nascidos pré-termos no primeiro ano. [Tese de Doutorado]. Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP; 2009.

Zajonz R, Muller AB, Valentini NC. A influência de fatores ambientais no desempenho motor e social de crianças da periferia de Porto Alegre. Rev. Educ. Fís. Maringá. 2008; (2):159-171.

Teixeira GA, de Carvalho JBL, da Rocha BG, Pereira AS, Enders BC. Perfil de mães e o desfecho do nascimento prematuro ou a termo. Rev. Cogitare Enf. Paraná. 2018. [Acesso em 16 de março de 2020]. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/51409/pdf.

Mazzo DM. Avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde de crianças nascidas prematuras hospitalizadas em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. [Dissertação]. Ponta Grossa: Universidade Estadual De Ponta Grossa; 2018.

Panceri C, Pereira KRG, Valentini NC. A intervenção motora como fator de prevenção de atrasos no desenvolvimento motor e cognitivo de bebês durante o período de internação hospitalar. Cad. Bras. Ter. Ocup. 2017; 25(3): 469-479.

Giachetta L, Nicolau CM, Costa APBM, Zuana AD. Influência do tempo de hospitalização sobre o desenvolvimento neuromotor de recém-nascidos pré-termo. Fisioter Pesq. São Paulo. 2010; 17(1): 24-9.

Gadelha MLL, Moreno RLR, Matos VC, Vasconcelos MH, Holanda ICLC. A influência da Terapia Ocupacional na intervenção precoce em recém-nascidos de alto risco. Rev. Bras. Promoç. Saúde. 2013; 12(1): 59-65.

Pilatti I, Haas T, Sachetti A, Fontana C, Oliveira SG, Schiavinato JCC. Oportunidades para o desenvolvimento motor infantil em ambientes domésticos. Rev. Bras. Ciênc. Saúde. Rio Grande do Sul. 2011; 9(27): 22-27.

Araújo LB, Novakoski KR, Bastos MSC, Mélo TR, Israel VL. Caracterização do desenvolvimento neuropsicomotor de crianças até três anos: o modelo da CIF no contexto do NASF. Cad. Bras. Ter. Ocup. 2018; 26(3): 538-557.

Brasil, Ministério da Saúde. Diretrizes de Estimulação Precoce: Crianças de Zero A 3 Anos com Atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor decorrente de Microcefalia; Brasília. 2016.

Folha DRSC, Marini BPR, Nunes AC, Della Barba PCS. Terapia Ocupacional e a atenção a crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus na perspectiva da Intervenção Precoce. Terapia Ocupacional e a atenção a crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus na perspectiva da Intervenção Precoce. Rev. Argen. de Ter. Ocup. 2018. [Acesso em 17 de março de 2019]. Disponível em: http://www.uncle.com.br/zikalab/site/wp-content/uploads/2018/09/2018jul-art4.pdf.

Guimarães MM. Análise da utilização das práticas recomendadas em Intervenção Precoce pelos Terapeutas Ocupacionais. [Dissertação de Mestrado] Universidade do Minho, Instituto de Educação; 2019.

Souza AC, Marino MSF. Atuação do Terapeuta Ocupacional com criança com atraso do desenvolvimento neuropsicomotor. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos. 2013; 21(1):149-153.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34330

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB