Suffixal changes in Middle Portuguese

Graça Rio-Torto

Resumo


The 2nd stage of Old Portuguese, also called Middle Portuguese, is a high period of major changes in the history of the Portuguese language.

The changes in deverbal noun formation with the suffixes -mento, -ção and -nça have decisively contributed to the codification of inovative concepts and to the new configuration of the derivational patterns of Modern Portuguese. The motivations of the declin of some suffixes forming deadjectival and deverbal nouns are analised in order to evaluate their conformity with the prototipycal solutions of linguistic change. The solutions adopted by some deverbal nouns sharing the same base but containing different suffixes reveal different pathes, in function of the suffixal resources involved and their ‘internal’ and ‘external’ circumstances.

We claim that the unavailability – after the 15th and 16th centuriesof -nça, an archaic and non-learned form, in contrast with the prestigious configuration of the neoclassical -ncia, must be taken as a defining feature of the changes characterizing Middle Portuguese.

 


Palavras-chave


Deverbal and deadjectival affixation. Derivational change. Affixal competition. Middle Portuguese.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


CARDEIRA, Esperança. Entre o português antigo e o português clássico. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2005.

CASTRO, Ivo de. A elaboração da língua portuguesa no tempo do infante D. Pedro. Biblos, v. LXIX, 1993. p. 97-106.

CASTRO, Ivo de. Introdução à história do português. 2nd revised and greatly expanded edition. Lisboa: Edições Colibri, 2006.

DAVIES, Mark; FERREIRA, Michael. Corpus do Português (45 milhões de palavras, sécs. XIV-XX), 2006-. Available online at http:/www.corpusdoportugues.org. Access: 2018/03/09.

DIAS, João José Alves. Livro dos conselhos de El-Rei D. Duarte. Diplomatic edition. Transcription of João José Alves Dias. Introduction of A. Oliveira Marques and João José Alves Dias, Lisboa: Editorial Estampa, 1982.

GALVES, Charlotte et al. Novas perspectivas para antigas questões: revisitando a periodização da língua portuguesa. In: ENDRUSCHAT, Annette; KEMMLER, Rolf; SCHAFER-PRIET, Barbara (Orgs.). Grammatische Strukturen des Europaischen Portugiesich. Tubingen: Calepinus Verlag, 2006. p. 45-75.

HAMAWAND, Zeki. Morpho-Lexical Alternation in Noun Formation. New York: Palgrave Macmillan, 2008.

HICKEY, Raymond. Linguistic models and language change. In: HICKEY, Raymond (Ed.), Motives for Language Change. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. p. 37-38.

MAIA, Clarinda de Azevedo. História do galego-português. Estado linguístico da Galiza e do Noroeste de Portugal do século XIII ao século XVI (Com referência à situação do galego moderno). Coimbra: INIC, 1997. (Reimpressão).

MAIA, Clarinda de Azevedo. Tratado de Tordesilhas: algumas observações sobre o estado da língua portuguesa em finais do séc. XV. Biblos, v. 70,1994. p. 33-91.

MAIA, Clarinda de Azevedo. Sociolinguística histórica e periodização linguística. Algumas reflexões sobre a diferença entre português arcaico e português moderno. Diacrítica, v. 10, 1995. p. 3-30.

MAIA, Clarinda de Azevedo. A herança latina na língua portuguesa. In: Actas do I Congresso da APEC. Raízes Greco-latinas da cultura portuguesa. Coimbra: Faculty of Arts, 1999. p. 85-98.

MARTINS, Oliveira. Os filhos de D. João I. Lisboa: Guimarães Editores,1993.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. Estruturas trecentistas. Elementos para uma gramática do Português Arcaico. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1989.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. O português arcaico: morfologia e sintaxe. São Paulo / Bahia: Contexto, 1994.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. Reconfigurações socioculturais e linguísticas no Portugal de quinhentos em comparação com o período arcaico. In: MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia; MACHADO FILHO, Américo V. (Orgs). O português quinhentista. Estudos Linguísticos. Salvador: EDUFBA, UEFS, 2002. p. 27-41.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. O português arcaico: uma aproximação – léxico e morfologia. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2008, v. 1.

NEWMEYER, Frederick. Formal and functional motivation for language change. In: HICKEY, Raymond (Ed.). Motives for Language Change. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. p. 18-36.

OLCOTT, George N. Studies in Word formation of the Latin Inscriptions substantives and Adjectives. With special reference to the Latin Sermo Vulgaris. PhD Faculty of Philosophy Columbia University, Rome: Salustinan Tipography, 1898.

OLIVEIRA, Fernão de. Gramática da Linguagem Portuguesa. Critical, semidiplomatic and anastatic edition by Amadeu Torres and Carlos Assunção, with an introductory study by Prof. Eugenio Coseriu, Lisboa: Lisboa Academy of Sciences, 2000.

PIEL, Joseph. Leal Conselheiro o qual fez Dom Eduarte rey de Portugal e do Algarve e senhor de Cepta. Critical and annotated edition organized by. Lisboa: Bertrand, 1942.

RIO-TORTO, Graça. Morphosyntax and semantics of derived nominals. In: MATEUS, Maria Helena Mira; CORREIA, Clara Nunes (Orgs.). Saberes no tempo. Homenagem a Maria Henriqueta Costa Campos. Lisboa: Colibri, 2002. p. 457-470.

RIO-TORTO, Graça. Nomes deverbais não sufixados e nomes deverbais corradicais sufixados: condições de existência. In: CARRILHO, Ernestina et al. (Orgs.). Estudos Linguísticos e Filológicos Oferecidos a Ivo Castro. Lisboa: Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. 2019. p. 1303-1337.

RIO-TORTO, Graça; ANASTÁCIO, Conceição. Estrutura e interpretação dos nomes depredicativos em português. In: RIO-TORTO, Graça (Coord.). Verbos e nomes em português. Coimbra: Livraria Almedina, 2004. p. 187-220.

RIO-TORTO, Graça; RODRIGUES, Alexandra. Formação de nomes. In: RIO-TORTO, Graça et al. (Eds.). Gramática derivacional do português. Coimbra, Imprensa da Universidade de Coimbra. 2016. p. 135-240.

RODRIGUES, Alexandra Soares. Formação de substantivos deverbais sufixados em português. München: Lincom, Studies in Romance Linguistics 57, 2008.

SIMÕES, Sandra Veríssimo. Reorganização sufixal no português arcaico. Dissertação (Mestrado em Linguística: Investigação e Ensino). Faculdade de Letras. Universidade de Coimbra, 2010.

SOLEDAD, Juliana. Semântica morfolexical – contribuições para a descrição do paradigma sufixal do português arcaico. 2 volumes. Tese (Doutorado em Letras e Linguística), Universidade Federal da Bahia, 2004.

VASCONCELOS, Carolina Michaëlis de. Unpublished documents by D. Carolina Michaëlis. Revista Lusitana, v. 28, n. 1-4, 1930. p. 16-41.

VASCONCELOS, José Leite de. Opúsculos I. Section I. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 1928.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v6i1.31282

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.