Sacralização e alimentação: uma reflexão sobre a RE 494601 e as religiões de matriz africana

Fabiana Bottrel Corrêa, Maria Conceição Oliveira

Resumo


No ano de 2019 ocorreu a abertura de um Recurso Extraordinário, pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, contra as leis que protegem a sacralização de animais em religiões de matriz africana. A partir disto, este artigo analisa alguns posicionamentos em relação a este acontecimento, se atrelando a alguns movimentos negros, às políticas raciais e, principalmente, à alimentação. É necessário entender como os movimentos negros ativistas da cultura alimentar observam e analisam este processo. O entendimento em relação à sacralização e à intolerância religiosa nos ritos de religiões de matriz africana também é importante, devido à necessidade de se contrapor uma visão construída pelo senso comum e perceber a importância de valorizar e respeitar as culturas, reconhecendo assim as diversas formas de comer.


Palavras-chave


Gastronomia; Alimentação; Sacralização; Religiões de matriz africana; RE 494601;

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Fabiana Bottrel Corrêa, Maria Conceição Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.