Percepções de docentes sobre a terapia ocupacional social e a inserção desta área no currículo em uma universidade pública no nordeste/Perceptions of professors about social occupational therapy and the insertion of this area in the curriculum in a northeast public university

Waldez Cavalcante Bezerra, Dolores de Fátima Faustino dos Santos, Stéphany Conceição Correia Alves Guedes Reis

Resumo


Apesar de a terapia ocupacional social ter surgido no Brasil nos anos de 1970, os maiores investimentos teóricos e metodológicos nos campos do ensino e da pesquisa, em níveis de graduação e pós-graduação, e o seu reconhecimento como subárea de atuação só ocorreram nas duas últimas décadas. Devido a esse processo de consolidação tardio, o presente estudo teve como objetivo analisar a percepção dos docentes acerca da terapia ocupacional social, bem como a sua inserção na matriz curricular do curso em uma universidade pública do Nordeste. Trata-se de uma pesquisa de campo, de caráter qualitativo, na qual participaram 20 docentes respondendo a um roteiro de entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados com a técnica de análise de conteúdo, a partir da qual se elaborou as seguintes categorias temáticas: Conhecimentos dos docentes sobre terapia ocupacional social; Entre a afirmação e a negação da especificidade do campo social; e Percepções dos docentes sobre a inserção da área na matriz curricular do curso. As percepções dos docentes sobre a terapia ocupacional social, em geral, foram coerentes com a literatura da área, apesar de apresentar algumas fragilidades, sendo a maior destas a incompreensão sobre a sua especificidade. Os docentes, em sua maioria, percebem a inserção da subárea na matriz curricular do curso de forma positiva, configurando-se como um ganho para todos da universidade e para a própria sociedade. Ressalta-se a necessidade de ampliar as discussões sobre a terapia ocupacional social na realidade local, visando divulgá-la e consolidá-la na formação e no mercado de trabalho.

 

Abstract:

Although Social Occupational Therapy emerged in Brazil in the 1970s, the largest theoretical and methodological investments in the fields of education and research, undergraduate and postgraduate levels, and their recognition as a sub-area of action only occurred in the two decades. The objective of the study was to analyze the teachers' perception about Occupational Social Therapy and its inclusion in the curricular matrix of the course at a public university in the Northeast. This is a field research, of qualitative and exploratory nature, in which 20 teachers participated, responding to a semi-structured interview script. The data were analyzed using the content analysis technique, from which the following thematic categories were elaborated: Teachers' knowledge about Occupational Social Therapy; Between affirmation and denial of the specificity of the social field; and teachers' perceptions about the insertion of the area into the curricular matrix of the course. The teachers' perceptions about Occupational Social Therapy, in general, were consistent with the literature of the field, although it presents some fragilities, the greater of these being incomprehension of subarea specificity. Teachers, for the most part, perceive the inclusion of the subarea in the curricular matrix of the course in a positive way, configuring themselves as a gain for all of HEI and for society itself. The need to broaden the discussion on Occupational Social Therapy in the local reality is emphasized, aiming to disseminate it and consolidate it in.

Keywords: Occupational Therapy, Teachers, Curriculum.

 

 

Resumen: A pesar de que la terapia ocupacional social surgió en Brasil en los años 1970, las mayores inversiones teóricas y metodológicas en los campos de la enseñanza y la investigación, en niveles de graduación y posgrado, y su reconocimiento como subárea de actuación sólo ocurrieron en las dos últimas décadas. Debido a este proceso de consolidación tardía, el presente estudio tuvo como objetivo analizar la percepción de los docentes acerca de la terapia ocupacional social, así como su inserción en el plan de estudios del curso en una universidad pública del Nordeste. Se trata de una investigación de campo, de carácter cualitativo, en la que participaron 20 docentes respondiendo a un cuestionário de entrevista semiestructurada. Los datos fueron analizados con la técnica de análisis de contenido, a partir de la cual se elaboraron las siguientes categorías temáticas: Conocimientos de los docentes sobre terapia ocupacional social; Entre la afirmación y la negación de la especificidad del campo social y Percepciones de los docentes sobre la inserción del área en el plan de estudios del curso. Las percepciones de los docentes sobre la terapia ocupacional social, en general, fueron coherentes con la literatura del área, a pesar de demostrar algunas debilidades, siendo la mayor de ellas la incomprensión sobre su especificidad. Los docentes, en su mayoría, perciben la inserción de la subárea em el plan de estudios del curso de forma positiva, configurándose como una ganancia para todos de la universidad y para la propia sociedad. Se resalta la necesidad de ampliar las discusiones sobre la terapia ocupacional social en la realidad local, con el objetivo de divulgarla y consolidarla en la formación y en el mercado de trabajo.

Palabras - claves: Terapia Ocupacional, Docentes, Plan de Estudios.


Palavras-chave


Terapia ocupacional social; Docentes; Currículo

Texto completo:

PDF

Referências


Barros DD; Ghirardi MIG; Lopes RE. Terapia Ocupacional e sociedade. Rer. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 1999; 10(2-3):71-6.

Galheigo SM. Terapia ocupacional social: uma síntese histórica acerca da constituição de um campo de saber e de prática. In. Lopes RE, Malfitano APS (Org.). Terapia Ocupacional Social: desenhos teóricos e contornos práticos. São Carlos. EduFSCar; 2016, p. 49 -68.

Barros DD; Lopes RE; Galheigo SM. Terapia ocupacional social: concepções e perspectivas. In: Cavalcanti A; Galvão C. (Org.). Terapia ocupacional: fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007; p. 347-353.

Malfitano APS. Contexto social e atuação social: generalizações e especificidade na terapia ocupacional. In. Lopes RE, Malfitano APS (Org.). Terapia Ocupacional Social: desenhos teóricos e contornos práticos. São Carlos. EduFSCar; 2016, p. 117-134.

Brasil. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito). Resolução n°371, de 06 de novembro de 2009. Dispõe sobre a alteração do artigo 1º da Resolução COFFITO nº 366. Diário Oficial da república Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2009. [acesso em 2017 dez. 10]. Disponível em: https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3134

Brasil. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito). Resolução n°383, de 22 de dezembro de 2010. Define as competências do terapeuta ocupacional nos contextos sociais e dá outras providências. Diário Oficial da república Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2010. [acesso em 2017 dez. 10]. Disponível em: https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3146

Brasil. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito). Resolução n°406, de 07 de novembro de 2011. Disciplina a Especialidade Profissional Terapia Ocupacional nos Contextos Sociais e dá outras providências. Diário Oficial da república Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2011. [acesso em 2017 dez. 10]. Disponível em: https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=3169

Lopes RE; Pan LC. O ensino de terapia ocupacional social nas universidades públicas do Estado de São Paulo. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2013; 24(2):103-11.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Terapia Ocupacional. Resolução CNE/CES 6/2002. Brasília: Conselho Nacional de Educação; 2002. [acesso em 2017 out. 08]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES062002.pdf

Pan LC. Políticas de ensino superior, graduação em Terapia Ocupacional e o ensino em Terapia Ocupacional Social no Brasil [dissertação]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2014.

Reis SCCAG. Histórias e Memórias da institucionalização acadêmica da terapia ocupacional no Brasil: de meados da década de 1950 a 1983 [dissertação]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2017.

Malfitano APS. Campos e núcleos de intervenção. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2005;16 (1): 1-8.

Lopes RE, Borba PLO, Cappellaro M. Acompanhamento individual e articulação de recursos em terapia ocupacional social: compartilhando uma experiência. O Mundo da Saúde. 2011; 35(2): 33-238.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto26100

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB