Análise do uso da tecnologia através de aplicativos de jogos como recurso de estimulação cognitiva em idosa com queixas subjetivas de memória: uma análise de prática/ Analysis of the use of technology through game applications as a cognitive stimulation resource in elderly women with subjective memory complaints: a practice analysis

Ana Paula Ocaña Castro, Bruna Carine Pasa, Kátine Marchezan Estivalet, Aline Sarturi Ponte, Kayla Araújo Ximenes Aguiar Palma

Resumo


O estudo aponta o uso da tecnologia, através de aplicativos de jogos, como recurso possível na estimulação cognitiva em idosa com queixas subjetivas de memória. Logo, trata-se de uma análise de prática, exploratória, descritiva e comparativa pré e pós-intervenção terapêutica ocupacional dos resultados da Bateria Breve de Rastreio Cognitivo (BBRC). Foram realizadas 16 intervenções com uma idosa de 77 anos, utilizando com recurso o aplicativo de jogos Brainilis, percebendo-se melhora em diferentes funções cognitivas. Os jogos podem ser importantes potencializadores terapêuticos, estimulando o funcionamento neuronal e a organização das habilidades comprometidas.

 

Palavras-chave: Envelhecimento; Memória; Cognição; Tecnologia; Terapia Ocupacional.

 

Abstract: The study points out the use of technology, through game applications, as a possible resource in cognitive stimulation in elderly people with subjective memory complaints. Therefore, this is a practice analysis, exploratory, descriptive and comparative pre- and post-intervention therapeutic occupational by comparing the results of the Cognitive Screening Short Battery (CSSB). Sixteen interventions were performed with a 77-year-old woman, using the Brainilis game application, perceiving improvement in different cognitive functions. The games can be important therapeutic potentials, stimulating neuronal functioning and the organization of compromised abilities.

 

Keywords: Aging; Memory; Cognition; Technology; Occupational Therapy.

 

Resumen: El estudio señala el uso de la tecnología, a través de aplicaciones de juegos, como un posible recurso en la estimulación cognitiva en persona mayor con quejas de memoria subjetiva. Por lo tanto, este es un análisis de la práctica, exploratoria, descriptiva y comparativa, previa y posterior a la intervención, de los resultados de la Batería Corta de Detección Cognitiva (BCDC). Se realizaron dieciséis intervenciones con una mujer de 77 años, usando la aplicación del juego Brainilis, percibiendo una mejora en diferentes funciones cognitivas. Los juegos pueden ser importantes potenciales terapéuticos, estimulando el funcionamiento neuronal y la organización de habilidades comprometidas.

 

Palabras clave: Envejecimiento; Memoria; Cognición; Tecnología; Terapia Ocupacional.


Palavras-chave


Envelhecimento; Memória; Cognição; Tecnologia; Terapia Ocupacional

Texto completo:

PDF

Referências


Nitrini R; Caramelli P; Herrera Júnior E; Porto CS; Charchat-Fichman H; Carthery MT; Takada LT; Lima EP. Performance of illiterate and literate nondemented elderly subjects in two tests of long-term memory. J Int Neuropsychol Soc. Cambridge. 2004; 10(4): 634-638.

Antunes HKM; Ruth FS; Cassilhas R; Santos RVT; Bueno OFA; Mello MT. Exercício físico e função cognitiva: uma revisão. Rev Bras Med Esporte. São Paulo. 2006; 12(2): 108-114.

Izquierdo IA. O que é a memória? In: Izquierdo IA. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2011. p. 11-23.

Apóstolo JLA; Cardoso DFB; Marta LMG; Amaral TIO. Efeito da estimulação cognitiva em idosos. Revista de Enfermagem Referência. Coimbra. 2011; III(5): 193-201.

Lousa EFCF. Benefícios da estimulação cognitiva em idosos: um estudo de caso. [Dissertação]. Coimbra: Instituto Superior Miguel Torga; 2016.

Carleto DGS. Relações intergeracionais de idosos mediadas pelas tecnologias de informação e comunicação. [Dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2013.

Fernandes ER; Zitzke VA. A evolução da técnica e o surgimento da tecnologia no contexto econômico e educacional. Anais... III Congresso Internacional de História da UFG/Jataí: História e Diversidade Cultural. Jataí; 2012.

Bernardes FR; Machado CK; Souza MC; Machado MJ; Belaunde AMA. Queixa subjetiva de memória e a relação com a fluência verbal em idosos ativos. CoDAS. São Paulo. 2017; 29(3): 1-6.

Costa RME; Carvalho LAV. O uso de jogos digitais na reabilitação cognitiva. Anais... Workshop de Jogos Digitais na Educação. Juiz de Fora, 2005.

Berlinck ABZ; Berlinck JAM. Terceira Idade e Tecnologia. Comunicação & Educação. São Paulo. 1998; 11(1): 48-52.

Muragaki CS; Okamoto KH; Furlan L; Toldrá RC. A utilização de jogos pela Terapia Ocupacional: contribuição para a reabilitação cognitiva. Anais... X Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação - Universidade do Vale da Paraíba. São José dos Campos; 2006.

Nakamura AL. Exergames: Jogos digitais para longeviver melhor. [Dissertação]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2015.

Santos KP; Santana APO. Teste de Fluência Verbal: uma revisão histórico-crítica do conceito de fluência. Distúrbios Comum. São Paulo. 2015; 27(4): 807-818.

Vitiello APP; Ciríaco JGM; Takahashi DY; Nitrini R; Caramelli P. Avaliação cognitiva breve de pacientes atendidos em ambulatório de neurologia geral. Arq Neuropsiquiatr. São Paulo. 2007; 65(2-A): 299-303.

Gonçalves V; Gil, H. As tecnologias digitais – Apps – e as competências cognitivas dos adultos idosos. Anais… 12th Iberian Conference on Information Systems and Technologies (CISTI), Castelo Branco; 2017.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34319

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB