Pessoas com Deficiência: Identificando um cenário para a inserção do terapeuta ocupacional no interior do Rio Grande do Sul / Persons with disabilities: identifying a scenario for the insertion of the occupational therapist in the interior of Rio Grande

Aline Sarturi Ponte, Bettina Janner, Miriam Cabrera Corvelo Delboni, Jodeli Pommerehn

Resumo


Introdução: As pessoas com deficiência têm garantido pela legislação brasileira os seus direito como cidadãos, mas a efetivação destes ainda apresenta-se insuficiente. Objetivo: mapear os serviços oferecidos no município de Agudo, RS, voltado para as pessoas com deficiência e apresentar contribuições da Terapia Ocupacional para essa população. Método: Abordagem qualitativa, do tipo estudo de caso. A coleta de dados ocorreu no período de agosto a outubro de 2014, esta foi realizada em três etapas: identificação dos serviços de saúde ofertados às pessoas com deficiência; entrevista com gestores destes serviços; e levantamento do número de pessoas com deficiência físico-motora usuárias dos serviços, após estas etapas realizou-se o cruzamento dos dados do município com os dados secundários informados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -- IBGE, levantamento censitário de 2010. Os dados desse estudo forma analisado considerando a Análise de Conteúdo. Resultados: Os dados levantados pelo IBGE, censo do ano de 2010, mostraram que a população de pessoas com deficiência físico-motora do município é de 1.559 pessoas, deste total apenas 42 (3%) são acompanhadas por algum serviço do município. Conclusão: Conclui-se que há falta de conhecimento sobre a realidade em que vivem as pessoas com deficiência neste município e sobre as suas necessidades de saúde. Observa-se que não há efetivação dos direitos humanos preconizados em lei e o funcionamento de um sistema de saúde igualitário e integrado para a população pesquisada, que caminha de forma lenta para o enfrentamento da exclusão social e garantia de ações para qualidade de vida.

 

Abstract

 

Introduction: People with disabilities are guaranteed by Brazilian law to their  rights as citizens, but their implementation is still insufficient. Objective: to map the services offered in the city of Agudo, RS, designed for people with disabilities and present Occupational Therapy'contributions  to this population. Method: Qualitative approach, presented as a study case. Data collection took place in the period from August to October 2014, which was carried out in three stages: identification of health services offered to people with disabilities; interview with managers of these services; and a survey of the number of people with physical and motor disabilities using the services. Following those steps, the data about the city were cross-checked with the secondary data reported by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE), from their census of 2010. The data from this study were analyzed considering the Content Analysis. Results: The data collected by the IBGE, census of 2010, showed that the population of people with physical and motor disabilities in the city is constituited by 1,559 people, among which only 42 (3%) are supported by some service of the city. Conclusion: We conclude that there is a lack of knowledge about the reality in which people with disabilities live in this city and about their health needs. It is observed that there is no effectiveness of the human rights advocated by law, as well as the functioning of an egalitarian and integrated health system for the population surveyed, which moves slowly towards the confrontation of social exclusion and the assurance of actions for quality of life.

Keywords:  Deficiency; Inclusion; Occupational Therapy.


Palavras-chave


Deficiência; Inclusão; Terapia Ocupacional

Texto completo:

PDF

Referências


Maciel MRC. Portadores de deficiência: a questão da inclusão social. São Paulo em Perspectiva. São Paulo. 2000; 14(2):51-6.

Ponte AS; Silva LC. A acessibilidade atitudinal e a percepção das pessoas com e sem deficiência. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, 2015; 23(2):261-71.

OMS -- Organização Mundial da Saúde. Global disability action plan 2014--2021:better health for all people with disability. Genebra. 2014. Disponível em: http://apps.who.int/gb/ebwha/pdf_files/WHA67/A67_16-en.pdf?ua=1. Acesso em: 28 de dezembro de 2016.

Neves-Silva P; Álvarez-Martín E. Estudio descriptivo de las características sociodemográficas de la discapacidad en américa latina. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. 2014; 19(12):4889-98.

Organização Mundial da Saúde -- OMS. Relatório Mundial sobre a Deficiência / World Health Organization, The World Bank; tradução Lexicus Serviços Lingüísticos. SEDPcD, São Paulo. 2012. Disponpível em : < http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/usr/share/documents/RELATORIO_MUNDIAL_COMPLETO.pdf . Acessado em: 29 de junho de 2016.

De Carlo MMRP; Bartalotti CC. Terapia Ocupacional no Brasil: Fundamentos e Perspectivas. São Paulo: Plexus, 2001.

Brasil. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Brasília, 1988.

Organização das Nações Unidas -- ONU. La realización de los Objetivos de Desarrollo del Milenio y los objetivos de desarrollo convenidos internacionalmente para las personas con discapacidad: una agenda para el desarrollo que tenga en cuenta a las personas con discapacidad para 2015 y despué. Informe del Secretario General. Genebra. 2012.

Brasil. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei n. 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Pessoa com Deficiência -- Legislação Federal. Brasília: SDH-PR/SNPD, 1999.

Brasil. Pessoa com Deficiência -- Legislação. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)/Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Pessoa com Deficiência (SNPD). Brasília: SDH-PR/SNPD, 2012.

Antunes MH; Rocha EF. Desbravando novos territórios: incorporação da Terapia Ocupacional na estratégia da Saúde da Família no município de São Paulo e a sua atuação na atenção à saúde da pessoa com deficiência -- no período de 2000-2006. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. São Paulo. 2011; 22(3):270-8.

Instituto Brasileiro de Geografia e Es¬tatística -- IBGE. Dados do Senso de 2010. 2010. Disponível em . Acesso em: 01 mai. 2016.

Brasil. Decreto nº 5.296 de 02 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Pessoa com Deficiência -- Legislação Federal. Brasília: SDH-PR/SNPD, 2004.

Brasil. Cartilha do Censo 2010 -- Pessoas com Deficiência. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)/Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD)/Coordenação-Geral do Sistema de Informações sobre a Pessoa com Deficiência; Brasília: SDH-PR/SNPD, 2012.

Galheigo SM. O social: idas e vindas de um campo de ação em terapia ocupacional. In: Pádua EMM, Magalhães LV. (Orgs.). Terapia ocupacional: teoria e prática. Campinas: Papirus, 2003.

Lakatos E; Marconi MA. Metodologia Científica - Pesquisa Científica. 6.Ed., SP, Brasil, 2011.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

Aoki M; Oliver FC. Pessoas com deficiência moradoras de bairro periférico da cidade de São Paulo: estudo de suas necessidades. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 21, n. 2, p. 391-398, 2013.

Fiorati RC; Elui VM. C. Determinantes sociais da saúde, iniquidades e inclusão social entre pessoas com deficiência. Rev. Latino-Am. Enfermagem. Ribeirão Preto. 2015; 23(2):329-36.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 2.436 de 21 de setembro de 2017. Brasília: Diário Oficial da Republica Federativa do Brasil, 2017.

Ferreira TG; Oliver FC. A atenção domiciliar como estratégia para ampliação das relações de convivência de pessoas com deficiências físicas. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. São Paulo. 21(3):189-97.

Souza FR; Pimentel AM. Pessoas com deficiência: entre necessidades e atenção à saúde. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos. 2012. 20(2):229-37.

Othero MB; Dalmaso ASW. Pessoas com deficiência na atenção primária: discurso e prática de profissionais em um centro de saúde-escola. Interface. Botucatu. 2009; 13(28):177-88.

Lima IMS; Pinto ICM, Pereira SO. Políticas Públicas e pessoa com deficiência: direitos humanos, família e saúde. Salvador: EDUFBRA, 2011.

Peduzzi M. Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre trabalho e interação. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva). Campinas: Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas. São Paulo: 1998.

De Carlo MMRP; Mioshi E, Nicolau SN. Projeto de Implantação do Programa Didático-assistencial de Terapia Ocupacional no Hospital Universitário de São Paulo. São Paulo: [s.l.], 2000. Apost.

Brasil. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB