Guia prático de excercícios de alongamento como promotor de autonômia em um grupo de mulheres / Promoting autonomy in a group of women with a practical guide to stretching

Tialhes Farias Marconato, Silvani Vargas Vieira, Miriam Cabrera Corvelo Delboni, Fernanda Alves Carvalho de Miranda

Resumo


A Terapia Ocupacional desenvolve sua prática e estudo sobre as atividades humanas com a utilização de recursos e instrumentos terapêuticos, que podem beneficiar o processo de envelhecimento. Nesse sentido, o estudo visou reconhecer e descrever a percepção de mulheres com idade entre 40 e 60 anos de idade, participantes de um grupo de Terapia Ocupacional, quanto às repercussões da utilização de um Guia Prático de Alongamento, no desempenho das atividades cotidianas. Para tanto, realizou-se uma pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva, por meio de Grupo Focal. Verificou-se que a utilização do Guia influenciou no controle da dor, na autonomia para realização de atividades de vida diária e na percepção do próprio corpo das participantes do estudo. Conclui-se que o Guia Prático de Alongamento é uma ferramenta simples, porém relevante para melhorar a consciência corporal, a autonomia e independência de indivíduos em processo de envelhecimento, sugerindo-o como um instrumento indicado para outras populações.

 

Abstract

Occupational Therapy carries out the practice and study of human activities by employing therapeutic resources and instruments, which can benefit the aging process. Thus, the aim of this study was to identify and describe the perception of women between the ages of 40 and 60 in an Occupational Therapy group regarding the effects of using a Practical Guide to Stretching on the performance of their daily activities. In that sense, a qualitative, exploratory and descriptive Focus Group research was carried out. It was verified that the use of the Practical Guide had an influence on participants' pain control, autonomy to perform daily activities and body perception. It was concluded that the Practical Guide to Stretching is a simple but relevant tool that helps aging individuals improve their body awareness, autonomy and independence. It is also a suitable tool for other populations.

Keywords: Muscle Stretching Exercises; Qualitative Research; Occupational Therapy.

 


Palavras-chave


Exercícios de Alongamento Muscular; Pesquisa Qualitativa; Terapia Ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Moreira, AB. Terapia Ocupacional: História Crítica e Abordagens Territoriais/ Comunitárias. Trindade. Revista Vita et Sanitas; 2008.

Francisco BR. Terapia Ocupacional. 5ª ed. Campinas, SP. Papirus Editora; 2008.

Gutterres, CMF; Barfknecht, KS. Terapia Ocupacional nas LER/DORT. Boletim Saúde, Porto Alegre, v. 19, n. 1, 2005.

Brito, FCE; Litvoc, CJ. Conceitos básicos. In FC Brito e C Litvoc (Ed.), Envelhecimento -- prevenção e promoção de saúde. São Paulo: Atheneu, p.1- 16, 2004.

WHO -- World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. (2005).

Cupertino, APFB; Rosa, FHM; Ribeiro, PCC. Definição de envelhecimento saudável na perspectiva de indivíduos saudáveis. Psicologia: Reflexão e Crítica. 2006; 20(1):81-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722007000100011

Tahan J, Carvalho ACD. Reflexões de idosos participantes de grupos de promoção de saúde acerca do envelhecimento e da qualidade de vida. Saúde & Sociedade. 2010; 19(4):878-88. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902010000400014

Gallo LH, Gonçalves R, Gurjão ALD, Jambassi Filho JF, Ferreira AS, Gobbi S. Alongamento no Programa de Atividade Física para Terceira Idade (PROFIT): promovendo a melhora da capacidade funcional em idosas. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 23, n. 1, p. 1-6, 2012. http://dx.doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v23i1p1-6

Nelson ME, Rejeski WJ, Blair SN, Duncan PW, Judge JO, King AC, Macera CA, Castaneda-Sceppa C. Physical Activity and Public Health in Older Adults Recommendation From the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Circulation. Journal of the American Heart Association. v. 116, p. 1094-1105, 2007. https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.107.185650

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016) / Adolfo Milech...[et. al.]; organização José Egidio Paulo de Oliveira, Sérgio Vencio - São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016. Disponível em: http://www.epi.uff.br/wp-content/uploads/2013/10/DIRETRIZES-SBD-2015-2016.pdf. Acesso em 21 de abril de 2018.

7ª DIRETRIZ BRASILEIRA DE. HIPERTENSÃO ARTERIAL. Sociedade Brasileira de Cardiologia. ISSN-0066-782X. Volume 107, Nº 3, Supl. 3, Setembro 2016. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf. Acesso em 21 de abril de 2018.

Kisner C, Colby, LA. Exercicíos terapêuticos: fundamentos e técnicas. 4ª ed. São Paulo. Manole; 2005, p. 841.

Borges, CD, Santos MA. Aplicações da técnica do grupo focal: fundamentos metodológicos, potencialidades e limites. Revista SPAGESP v.6 n.1 Ribeirão Preto jun. 2005. ISSN 1677-2970. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702005000100010. Acesso em 21 de abril de 2018.

Ressel, LB, Beck CLC. Gualda, DMR, Hoffmann, IC, Silva, RM, Sehem, GD. O uso do grupo focal em pesquisa qualitativa. Texto & Contexto Enfermagem, v.17, n.4, p. 779-86, 2008. ISSN 1980-265X. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n4/21.pdf. Acesso em 21 de abril de 2018.

Turato ER. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. Petrópolis. Vozes; 2003.

Aversan T, Munster MAV. Influência da prática de atividade física na qualidade de vida do idoso: uma revisão bibliográfica. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 16, Nº 165, Febrero de 2012. ISSN 1514-3465.

Almeida PHF, Barandalize D, Ribas DIR, Gallon D, Macedo ACB, Gomes ARS. Alongamento muscular: suas implicações na performance e na prevenção de lesões. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 22, n. 3, p. 335-343, jul./set. 2009. ISSN 0103-5150. Versão on-line disponí vel em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/fisio/article/viewFile/19453/18793. Acesso: 18 de fevereiro de 2017.

Almeida TT, Jabur NM. Mitos e verdades sobre flexibilidade: reflexões sobre o treinamento de flexibilidade na saúde dos seres humanos. Motricidade, 2007; 3(1): 337-344. DOI: https://doi.org/10.6063/motricidade.3(1).687

Di Alencar TAM, Matias KFS. Princípios fisiológicos do aquecimento e alongamento muscular na atividade esportiva. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol, n 3, p. 230-234. 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922010000300015

Toscano JJO, Oliveira ACC. Qualidade de vida em idosos com distintos níveis de atividade física. RevBrasMed Esporte, Niterói, v. 15, n. 3, p. 169-173, maio/jun. 2009. ttp://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922009000300001

Ferreira TKA. Atividade física na velhice: avaliação de um grupo de idosas sobre seus benefícios. Revista Enfermagem Integrada -- Ipatinga: Unileste, V. 8 - N. 1 - Jul./Ago. 2015. ISSN:1984-7602.

Benedetti TB, Petroski EL, Gonçalves LT. Exercícios físicos, auto-imagem e auto-estima em idosos asilados. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, Volume 5 -- Número 2 -- p. 69 - 74 -- 2003.. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3957/16841. Acesso em 20 de março de 2017.

Rafacho AM, Moraes M, Palm RDCM. Terapia Ocupacional no Contexto da Humanização. Anais do 11º Encontro Latino-Americano de Iniciação Científica e 7º Encontro Latino-Americano de Pós-Graduação da UNIVAP; 2007 [CD ROM]. São José dos Campos; 2007.

Lanuez MV, Lanuez FV, Montero EG, Jacob Filho W. Correlação entre dois programas de atividade física na marcha de idosos sedentários. Einstein. 2010; 8(3 Pt 1):281-4. http://dx.doi.org/10.1590/s1679-45082010ao1585

Abate DT.R.S , Guimarães C.S.O , Silva R.C.R , Reis M.A , Neto O.B. Avaliação da flexibilidade e mobilidade funcional em idosos após sessão aguda de alongamento postural. Coleção Pesquisa em Educação Física. Vol. 9. Núm. 5, p.95-102. 2010. http://dx.doi.org/10.1590/1809-9823.2014.13105

Chao D, Foy CG, Farmer D. Exercise adherence among older adults: challenges and strategies. Control Clin Trials. Volume 21, Issue 5, Supplement 1, October 2000, Pages S212-S217. https://doi.org/10.1016/S0197-2456(00)00081-7

Picorelli AMA, Pereira DS, Felício DC, Gomes DA, Dias RC, Pereira LSM. Adesão de idosas a um programa de exercícios domiciliares pós-treinamento ambulatorial. Fisioter Pesq. 2015;22(3):291-308. http://dx.doi.org/10.590/1809-2950/13997522032015




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto13522

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB