Direitos da pessoa com HIV/AIDS e a terapia ocupacional /Rights of persons with VIH/SIDA and occupational therapy

Milena Kaline dos Santos Nascimento, Beatriz Akemi Takeiti

Resumo


Após trinta anos de descoberta da AIDS no mundo, as pessoas infectadas ainda sofrem dos estigmas e preconceitos, não tendo seus direitos garantidos integralmente. Este trabalho tem como objetivo analisar como a literatura tem tratado as questões dos direitos de pessoas com HIV/AIDS e de que forma a terapia ocupacional tem contribuído com a temática. Optou-se por realizar uma pesquisa de base exploratório-descritiva, de abordagem qualitativa, utilizando-se como método a revisão da literatura. A busca pelos artigos completos se deu nas bases de dados da SCIELO, PUBMED e Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) com recorte nos períodos de 2006 a 2016. Como resultado, identificamos um número significativo de artigos que tratam sobre a doença, dando ênfase para os aspectos sócio históricos e epidemiológicos de ocorrência. Em relação aos direitos, notou-se um menor número de publicações cuja noção conceitual esteve atrelada ao direito à saúde, desconsiderando a garantia de outros direitos, tão importantes e necessários às pessoas com HIV/AIDS. Ao compreender que os direitos à saúde desta população não se dissociam dos demais direitos que devem ser garantidos, torna-se necessário aos profissionais, dentre os quais, terapeutas ocupacionais, colocar em debate e ampliar o diálogo sobre as ocupações destes sujeitos entendendo esta ocupação como direito a participação social nas diversas esferas da vida social.

 

Abstract

After thirty years of AIDS discovery around the world, infected people still suffer from stigma and prejudice, and their rights are not fully guaranteed. This study aims to analyze how the literature has dealt with issues of the rights of people with HIV/AIDS and how occupational therapy has contributed to the issue. It was decided to carry out an exploratory-descriptive research, with a qualitative approach, using as a method the literature review. The search for the complete articles was carried out in the SCIELO, PUBMED and Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) databases with a cut from 2006 to 2016. As a result, we identified a significant number of articles that deal with the disease, emphasizing the sociohistorical and epidemiological aspects of occurrence. With regard to rights, there was a smaller number of publications whose conceptual notion was tied to the right to health, disregarding the guarantee of other rights, so important and necessary to people with HIV/AIDS. By understanding that the health rights of this population do not dissociate from the other rights that must be guaranteed, it is necessary for professionals, including occupational therapists, to debate and expand the dialogue about the occupations of these subjects, understanding this occupation as social participation in the various spheres of social life. 

Keywords: Acquired immunodeficiency syndrome; VHI; Occupational therapy; Rights; Social Stigma.


Palavras-chave


Direitos; Estigma social; HIV; Síndrome da imunodeficiência adquirida; Terapia ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Guajardo CA. Enfoque y praxis en Terapia Ocupacional. Reflexiones desde una perspectiva de la terapia ocupacional crítica. Rev. Terapia Ocupacional Galícia (TOG) (A Coruña), v.9, Monog.5, Dic 2012, p.18-29.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: HIV/AIDS. Ano V, Nº 01. 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e AIDS. Direitos humanos e acesso universal: AIDS e cidadania: avanços e desafios na efetivação do direito à saúde de soropositivos. Miranda A. In: Direitos Humanos e HIV/AIDS: avanços e perspectivas para o enfrentamento da epidemia no Brasil / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Programa Nacional de DST e AIDS. — Brasília: Ministério da Saúde, 2008, p. 9-16.

Timerman A, Magalhães N. O início: a AIDS no mundo gay e além. In: Timerman A; Magalhães N. Histórias da AIDS. Belo Horizonte: Autêntica Editora; 2015. p. 79-91.

Cassino ACD, Guimarães C. Informação, Educação e Saúde: uma análise de campanhas televisivas da AIDS no Brasil. In: Monken M; Dantas AV. Iniciação Científica na educação profissional em saúde: articulando trabalho, ciência e cultura. v. 5. Rio de Janeiro: EPSJV, 2010. p. 43-70.

Oliveira TG. AIDS e discriminação: violação dos direitos humanos [tese]. Universidade Federal de Santa Catarina. 2007.

Ayres JRCM, Júnior IF, Calazans GJ, Filho HS. O conceito de vulnerabilidade e as Práticas de Saúde: novas perspectivas e desafios. In: Czeresnia D, Freitas CM. Promoção de Saúde: conceitos, reflexões, tendências. 2 edição. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009. p. 121-135.

Goffman E. Estigma e Identidade Social. In: Goffman E. Estigma: Notas sobre a Manipulação da Identidade Deteriorada. 4.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2012. p.11-41.

Parker R, Aggleton P. Estigma e Discriminação como Processos Sociais. In: Estigma, discriminação e AIDS. Parker R; Aggleton P. (orgs) Rio de Janeiro: Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS; 2001. p. 7-17.

Telles VS. Direitos Sociais: afinal do que se trata? In: Direitos Sociais: afinal do que se trata? Telles VS. (org.) Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006. p. 169-176.

Gomes R. Análise e interpretação dos dados de pesquisa qualitativa. In: Minayo, MC de S. Pesquisa Social -- Teoria, método e criatividade. 33ª Edição. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2013, p.79-108.

Carvalho SM, Paes GO. A influência da estigmatização social em pessoas vivendo com HIV/AIDS. Cad. Saúde Colet., 2011, Rio de Janeiro, 19 (2): 157-63.

Andrade RG, Iriart JAB. Estigma e discriminação: experiências de mulheres HIV positivo nos bairros populares de Maputo, Moçambique. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 31, n. 3, p. 565-574, mar. 2015 . DOI http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00019214

Leite G, Murray L, Lenz F. O Par e o Ímpar: o potencial de gestão de risco para a prevenção de DST/HIV/AIDS em contextos de prostituição. Rev. bras. epidemiol., São Paulo , v. 18, supl. 1, p. 7-25, Sept. 2015. DOI http://dx.doi.org/10.1590/1809-4503201500050003

Ferraz D, Paiva V. Sexo, direitos humanos e AIDS: uma análise das novas tecnologias de prevenção do HIV no contexto brasileiro. Rev. Bras. Epidemiol. São Paulo , v. 18, supl. 1, p. 89-103, Sept. 2015. DOI http://dx.doi.org/10.1590/1809-4503201500050007

Bellenzani, R. Saúde e Direitos: Vulnerabilidades à Saúde Sexual Juvenil em Comunidades Litorâneas Brasileiras. Psic., Saúde & Doenças, Lisboa , v. 13, n. 2, p. 459-479, 2012.

Amon J, Todrys K. Acesso de populações migrantes a tratamento antirretroviral no Sul Global. Sur, Rev. int. direitos human., São Paulo , v. 6, n. 10, p. 162187, June 2009. DOI http://dx.doi.org/10.1590/S1806-64452009000100009

Grangeiro A, Ferraz D, Barbosa R, Barreira D, Veras MASM, Villela W, Veloso JC, Nilo A. UNGASS-HIV/AIDS: Balanço da Resposta Brasileira, 2001-2005. Rev Saúde Pública 2006; 40(Supl):5-8 DOI http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000800002

Bermúdez XPD, Seffner F. Liderança brasileira à luz da Declaração de Compromisso sobre HIV/Aids da UNGASS. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 40, supl. p. 101-108, Apr. 2006. DOI http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000800014

Oliveira RMR. Gênero, direitos humanos e impacto socioeconômico da AIDS no Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 40, supl. p. 80-87, Apr. 2006. DOI http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000800011

Paiva V, Pupo LR, Barboza R. O direito à prevenção e os desafios da redução da vulnerabilidade ao HIV no Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 40, supl. p. 109-119, Apr. 2006. DOI http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000800015

Gil NAN, De Carlo MMRP. Os papéis ocupacionais de pessoas hospitalizadas em decorrência da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. O Mundo da Saúde, São Paulo - 2014;38(2):179-188. DOI http://dx.doi.org/10.15343/0104-7809.20143802179188

Leite ASC, Matos AH, Oliveira IBS, Araújo LS. Enveredando pelos caminhos da arte: a terapia ocupacional na produção de saúde de sujeitos infectados pelo HIV. Rev. NUFEN, São Paulo , v. 5, n. 1, p. 64-81, 2013.

Associação Americana de Terapia Ocupacional. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. Rev Ter Ocup Univ São Paulo; jan.-abr. 2015;26(ed. esp.):1-49. DOI http://dx.doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v26iespp1-49




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto13934

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB