A difusão do você pelas estruturas sociais carioca e mineira dos séculos XIX e XX

Célia Regina dos Santos Lopes, Márcia Cristina de Brito Rumeu

Resumo


Neste trabalho, busca-se discutir a produtividade das estratégias pronominais de referência ao sujeito de 2a pessoa do discurso e os tipos de relações sociais travadas entre remetente e destinatário em missivas cariocas e mineiras oitocentistas e novecentistas. O foco deste estudo são os tipos de relações sociais que parecem condicionar a frequência de uso das estratégias pronominais de 2a pessoa no Brasil à luz da Teoria do Poder e da Solidariedade pensada por Brown e Gilman (1960). De uma forma geral, nas missivas cariocas e mineiras caracterizadas pelas relações sociais simétricas e assimétricas, observou-se a difusão do você, parecendo já sedimentar a semântica da Solidariedade no Brasil novecentista. 


Palavras-chave


variação tu/você; mudança linguística; sistema pronominal; segunda pessoa; relações sociais simétricas e assimétricas

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Afranio Gonçalves. Tratamento dos corpora de sincronias passadas da língua portuguesa no Brasil: recortes grafológicos e linguísticos. In: LOPES, Célia Regina dos Santos (Org.). A Norma Brasileira em construção: fatos linguísticos do século 19. Rio de Janeiro: UFRJ, FAPERJ, 2005. p. 25-43.

BROWN, R.; GILMAN, A. The pronouns of power and solidarity. In: SEBEOK, T. A. (Ed.). Style in language. Cambridge: MIT Press, 1960. p. 253-449.

CINTRA, Luis. F. Lindley. Sobre “Formas de Tratamento” na língua portuguesa. Lisboa: Livros Horizonte/Coleção Horizonte 18, 1972.

CONDE SILVESTRE, Juan Camilo. Sociolinguística histórica. Madrid: Gredos, 2007.

CHAVES, Elaine. Implementação do Pronome Você: a contribuição de pistas gráficas. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

GUY, Gregory; ZILLES, Ana. Sociolinguística Quantitativa – instrumental de análise. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

HERNÁNDEX-CAMPOY, Juan Manuel; CONDE SILVESTRE, Juan Camilo. The Handbook of Historical Sociolinguistics. Oxford: Wiley-Blackwell, 2014 [2006].

HERNÁNDEZ-CAMPOY Juan Manuel; SCHILLING, Natalie. The Application of the Quantitative Paradigm to Historical Sociolinguistics: Problems with the Generalizability Principle. In: HERNÀNDEX-CAMPOY, Juan Manuel; CONDE-SILVESTRE, Juan Camilo. The Handbook of Historical Sociolinguistics. Oxford: WileyBlackwell, 2014 [2006]. p. 63-79.

HOPPER, Paul John. On somes principles of grammaticalization. In.: TRAUGOTT, Elizabeth Closs; HEINE, B. (Eds.). Approaches to grammaticalization. Amsterdam, Philadelphia: John Benjamins Company, Volume I, 1991. p. 17-35.

LABOV, William. Principles of Linguistic Change. Volume 1: Internal Factors. Cambridge: Blackwell Publishers, 1994.

LOBO, Tânia Conceição Freire. Para uma sociolinguística histórica do português no Brasil. Edição filológica e análise linguística de cartas particulares do Recôncavo da Bahia, século XIX. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

LOPES, Célia Regina dos Santos; SOUZA, Janaína Pedreira Ferreira de. Formas tratamentais em cartas do Rio de Janeiro (1870 a 1979). Comunicação apresentada no I Simpósio do LaborHistórico: História dos pronomes de tratamento no português brasileiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

LOPES, Célia Regina dos Santos; CAVALCANTE, Sílvia Regina de Oliveira. A cronologia do voceamento no português brasileiro: expansão de você-sujeito e retenção do clítico-te. Lingüística. Vol. 25, p. 30-65, 2011.

LOPES, Célia Regina dos Santos. A persistência e a decategorização nos processos de gramaticalização. VITRAL, L.; COELHO, S. (Orgs.) Estudos de Processos de Gramaticalização: metodologias e aplicações.

Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2010. p. 275-314.

LOPES, Célia Regina dos Santos; MACHADO, Ana Carolina Morito. Tradição e inovação: indícios do sincretismo entre a segunda e a terceira pessoas nas cartas dos avós. In: LOPES, Célia Regina dos Santos. (Org.). A Norma Brasileira em Construção. Fatos linguísticos em cartas pessoais do século 19. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras, UFRJ, FAPERJ, 2005. p. 45-66.

LUCCHESI, Dante. A constituição histórica do português brasileiro como um processo bipolarizador: tendências atuais de mudança nas normas culta e popular. In: GROBE, S.; ZIMMERMANN, K. (Eds.), “Substandard” e mudança no português do Brasil. Frankfurt am Main: TFM, 1998. p. 73-99.

MACHADO, Ana Carolina Morito. As formas de tratamento nos teatros brasileiro e português dos séculos XIX e XX. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

MENON, Odete Pereira da Silva. A história de você. GUEDES, Marymarcia; BERLINCK, Rosane de Andrade; MURAKAWA, Clotilde de Almeida Azevedo. Teoria e análise linguísticas: novas trilhas. Araraquara: Laboratório Editorial FCL/UNESP / São Paulo: Cultura Acadêmica Editorial, 2006. p. 99-160.

MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luiza. Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2004.

MOTA, Maria Alice. A variação dos pronomes ‘tu’ e ‘você’ no português oral de São João da Ponte (MG). Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

PERES, Edenize Ponzo. O uso do você, ocê, cê em Belo Horizonte: um estudo em tempo aparente e em tempo real real. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

PEREIRA, Rachel de Oliveira. O tratamento em cartas amorosas e familiares da Família Penna: um estudo diacrônico. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

ROMAINE, Suzanne. Socio-historical linguistics: its status and methodology. New York: Cambridge University Press, 1985 [2010].

ROBINSON, J.; LAWRENCE, H.; TAGLIAMONTE, S. Golvdvarb 2001. A multivariate analysis application for Windows. York: 2001. Disponível em: http://www.york.ac.uk/depts./lang/webstuff/goldvarb/manual/manualOct2001.html. Acesso em: 03 out. 2001.

RUMEU, Márcia Cristina de Brito. Língua e sociedade: a história do pronome 'Você' no português brasileiro. 1a ed. Rio de Janeiro: Ítaca (FAPERJ), 2013.

RUMEU, Márcia Cristina de Brito. Vestígios da pronominalização de Vossa Mercê > Você em missivas cariocas e mineiras: uma incursão pelo português brasileiro escrito nos séculos XIX e XX. Revista Veredas (UFJF), v. 16, nº 2, p. 36-55, 2012.

SANKOFF, David. Variable rules. In: AMMON, U. et al. (Eds.) Sociolinguistics – An International Handbook of the Science of Language and Society. Berlin/New York: Walter de Gruyter, 1988, p. 984-998.

SILVA, Érica Nascimento. Cartas amorosas de 1930: o tratamento e o perfil sociolinguístico de um casal nãoilustre. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

SOTO, Ucy. Cartas através do tempo: o lugar do outro na correspondência brasileira. Niterói: Ed. da UFF, 2007.

SOUZA, Janaína Pedreira Ferreira de. Mapeando a entrada do você no quadro pronominal: análise de cartas familiares dos séculos XIX-XX. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Padrões sociolinguísticos do português brasileiro: a importância da pesquisa variacionista. Tabuleiro de Letras, 4, p. 01-32, 2012.

SCHERRE, Maria Marta Pereira; LUCCA, Nívia Naves Garcia; DIAS, Edilene Patrícia Andrade; QUEIROZ, Carolina; MARTINS Germano Ferreira. Usos dos pronomes “você” e “tu” no português brasileiro. Comunicação apresentada no II SIMELP, Universidade de Évora, 2009.

VIANNA, Juliana Barbosa de Segadas Vianna. Semelhanças e diferenças na implementação de a gente em variedades do português. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

WARDHAUGH, R. Solidarity and politeness. In: _____. An introduction to Sociolinguistics. 3a ed. Oxford: Blackwell textbooks in linguistics, 1997. p. 255-279.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG Marvin I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança lingüística. São Paulo: Parábola, [1968] 2006.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v1i1.4782

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.